Passou um vendaval na cozinha

A doida da cozinha voltou!!! AAAEEEEEE negadis!

Que comece a festa iiiiiupiiiiiii!

Bom, apresento-lhes a torre de quitutes:



Na base, nos potes de vidro:
-> Catchup
-> Mostarda
-> Geleia de morango

Logo acima: maionese caseira e acima dela tofu.

Bom, não tem muito mistério.

A receita do catchup eu postei esses dias, veio daqui: http://www.toputaevoucozinhar.com.br/2012/10/quem-procura-acha-o-melhor-catchup.html
Não fiz com tomates daquele tipo italiano (que é mais ovalado, não o redondo). Acho que fica melhor com tomates italianos.

A mostarda fiz um mix de todas receitas que encontrei, mas o principio é: deixa as sementes de mostarda de molho no vinagre (fiz com vinagre de maçã, mas fica melhor talvez com um de cereal, de arroz, vinho branco...) por 2 dias. Daí bati com sal, um pouco de açúcar (umas 2 col), um pouco de alho e cebola desidratado e adicionei água para não ficar tão ácido. O negócio é ir batendo e provando. Fica forte, e o sabor melhora com o passar dos dias.

A geléia de morango fiz com morangos (dãaaa) e um pouco de açúcar magro, cortei cada morango em 4 partes e deixei cozinhando. Adoro geleia em pedaços, principalmente de morangos.

A maionese vegana foi uma tacada de mestre: cozinhei cenoura e batata, depois com um pouquinho de leite de soja caseiro bati tudo no liquidificador. Coloquei alho e cebola desidratado e uma pitada de sal negro (para dar aquele cheiro de ovo de maionese de festa de igreja), completei com sal normal e conforme batia colocava azeite de oliva, o que deixou a maionese cheirosa. Como não coloquei tanto liquido, não precisei colocar tanto óleo. Depois de beeeem batida a maionese, piquei salsinha e dei uma pulsada no liqui para dar uma quebradinha nas folhinhas. Ficou delicioso, eu AMO maionese caseira.

E o tofu, querem mesmo saber como faz? Dá trabalho, mas quando tu encontra no mercado tofu por 10 reais 300grs, você se obriga... (gasto mais ou menos 3 reais para fazer o meu, fora o trabalho kkkk). Eu já mostrei no blog como faz, deixa eu encontrar o link e atualizo aqui.

Ando apaixonada pelo sal negro, pois uma coisa que sinto falta é o sabor de ovo, sabe? Não nego não viu? Agora faço as omeletes de grão de bico quase 100% igual a uma omelete normal hehehe....

Próximo passo? Fazer leite de coco caseiro e biomassa de banana no conforto do lar.

-------------------------------------------------------------------
Sammy foi pega dando gargalhada em volta de um caldeirão... foi o que eu ouvi!


Visões



Estava pesquisando sobre planners e acabei entrando em outros assuntos.
Em resumo, acabei refletindo muito sobre: autoimagem, dieta, corpo perfeito e gratidão.

Eu vi muita coisa, e a cabeça não parou de ter ideia.

Bom, os planners ajudam a te organizar e nessa onda você acaba colocando em ordem outros setores da tua vida.

Em um grupo de whatts de amigas, temos o hábito de cada uma, todo dia, dizer pelo que é grata. Dizemos "bom dia" e agradecemos alguma coisa.
Às vezes é um agradecimento bem pessoal, outras vezes é um agradecimento genérico onde todo mundo se identifica (tipo "agradeço pela minha cama quentinha").

De certa forma, isso me ajuda a ver o melhor lado da vida, apesar de qualquer problema, ver a parte boa das coisas e passar pelo dia mais leve,

Dizem que quando somos positivas e agradecemos, abrimos espaço em nós mesmas para receber coisas boas do universo.

Ter uma visão positiva não é "namastê vibe", é parar de valorizar as coisas negativas que acabam nos deixando estressados e de cara fechada com a vida e valorizar aquilo de bom que há por aqui e, assim, amenizar o impacto das coisas ruins em nós mesmos.

Não é ignorar os problemas, é aprender a lidar com eles de forma leve, eu sei que há o problema, observo ele e não me afundo emocionalmente nisso, não me afeto com ele.

O que não está sob meu controle, não tenho o que fazer, logo, não posso gastar a saúde nisso.

Odeio menos as coisas pequenas, um dia de chuva tem valor, o sol torrando tem valor, a ventania tem seu valor. Num dia de chuva, lembro que tenho minha cama quente e um teto e a chuva é o menor dos meus problemas.

Carne de jaca...

Ueeeeeeepaaaaaa, como assim?


Sim, fiz carne de jaca, como uma pessoa que adora sarna para se coçar.

Essa semana estava com vontade de experimentar coisas diferentes, confesso que fiquei surpreendida com a dita cuja.

Bom, comprei uma jaca verde, cortei ela, driblei a cola desgraçada dela (dica: unte TUDO com óleo para a cola sair mais fácil depois). Cozinhei por uma hora os pedaços.

Separei os desfiados da casca e das sementes e obtive o mais puro desfiado de jaca:


Aí ela está já temperada e com molho de tomate. Imagine algo muuuito bom.
Não, ela não tem gosto de carne, nem de frango e não possui todas as proteínas duma carne ou sei lá o que. Apenas é uma comidinha diferente para provar.

Eu ando tri pilhada em fazer coisinhas diferentes.

Nesse blog, tem o passo a passo para fazer essa danada: http://presuntovegetariano.com.br/receitas/vegan/carne-de-jaca/

Quem aí já provou essa bichinha?

Beijão!

Sobre blogs para te tirar da fossa + catchup caseiro



Acho esse nome "catchup" meio sugestivo, e a mente poluída não deixa de pensar merda quando pronuncia hahahahaha...

Visitei, não sei porque nem por onde cheguei no blog tô puta e vou cozinhar, só sei que o jeito que a moça escreve e as receitas que fui lendo num dia de pouca coisa para fazer me fisgaram duma forma....

E uma das receitas que anotei para fazer no feriado foi essa de catchup caseiro

Eu fiz uma zueira na receita, pois fiz metade, daí usei uma pimenta inteira quando na real deveria ter usado meia pimenta (por conta da meia receita), usei cravo em pó no lugar dos 3 cravos e exagerei na quantidade (uma colher de chá) e o louro usei a mesma medida de louro em pó. Mas igual, ficou delicioso, apimentado sim, mas delicioso demais. E logo farei de novo, assim que acabar esse hehehehe...

A receita está AQUI. Mas ó, perde a chance não de ir lá, viu... cada texto mais legal que o outro!




Continuo na luta para dar jeito na vida, deixar a obsessão pelo corpo perfeito de lado, tentar viver a vida sem essa noia que, sinceramente, cansei de viver.

Não quero me apegar a peso, não quero me apegar a esses números bestas, quero cuidar de mim simplesmente porque me amo e não porque acho que deveria se encaixar num padrão que, sinceramente, nem se alcança.

Depois de desencanar disso, de certa forma iniciei a comer melhor, comer minhas bobagens sim, mas tudo numa boa, sem nóia, sem se achar um monstro...

Volto em breve, juro juradinho.

Beijão!