Vida fit




Eu ainda estou aprendendo a lidar com essa minha remada contra a maré em relação a vida FIT.

Já disse que isso me encheu o saco, essa mania de achar pão ruim, mas se entupir de tapioca, por exemplo.

Dezembro fui na nutri, peguei um plano alimentar e logo sai de férias. Alguns dias segui, e outros foi uma orgia, porque saí para tudo que é lado e com a mãe em casa... Bom, se enquanto tô trabalhando ela fica inventando mil coisas para comer, imagine quando estou de férias. Vai vendo. Engordei 5kgs nas férias.

Relaxei mesmo, porque precisava de certa forma me libertar da opressão, ok exagerei, mas precisava disso e vocês não tem noção de como foi libertador.

Voltei para o trabalho, fui seguindo uns 70% da dieta, mas sem fazer exercícios. Alguns dias até consegui dar uma emagrecida mas depois meio que voltava de novo ao peso. Bom, resolvi não encucar com isso.

Resolvi, também, que estava na hora de marcar o retorno da nutri. Tô indo lá hoje. Porque quando peguei a primeira dieta, eu não estava querendo explicitamente emagrecer, minha intensão era regular tpm e iniciar o processo. Acabei engordando, mas isso foi tudo por mim, eu que fiz esse ganho de peso e não me acho incapaz de nada por isso.

Prova do meu amadurecimento é que estou indo hoje lá na nutri, vou falar "ó, engordei 5kgs nas férias porque segui no máximo 30% da dieta nas férias, fora cervejinhas e etc e seguindo uns 65 - 70% da dieta depois das férias e sem fazer exercícios estou mantendo o peso", e eu não estou com medo dela, pois ela é minha companheira de mudanças e ela tá fazendo a parte dela.

Agora falta fazer a minha parte, quero ajustar algumas coisas para me facilitar em outras. Vou pedir para deixar uma observação do plano alimentar sobre algo que eu posso comer a mais / a menos quando fizer ou não algum exercício, pois ando bem de lua e sendo obrigada a nada.

Agora que acabou horário de verão, fica mais fácil acordar na madruga e ir numa academia para correr na esteira. Hoje estava pensando e montei uma estratégia que pode funcionar, mesmo acordando no mesmo horário de sempre.

Mas eu estou tentando fazer minha cabeça para não entrar na nóia e na maré dos alucinados do "foco, força e fé" e do "esse ano serei fit".

Ainnn tô fit, receita de ovo Fit, maionese de giló funcional fit, pão é vilão te entope de tapioca, só consegue quem se esforça, sem desculpa... (minha cara nessas situações)


A minha maior vantagem nesse processo é a paciência da nutri (coitada, sofre na minha mão hahahaha).

A minha sorte que ela não é que nem uma vez eu tive uma que dizia: "se é para me mostrar esse resultado (2kgs a menos no mês) então nem me faz perder tempo". A gente não é só máquina de comer / cagar / malhar / postar prato fit no instagram... Somos carne, osso e sentimentos.

Acredito que agora eu vou tentar ir na nutricionista uma vez por mês, para não me dispersar muito. Claro, hoje ela vai tirar minhas medidas e tudo mais, mas talvez para não forçar a barra, vou optar por não ver nada hahahaha.
Sem dar sorte pro azar kkkk

No mais, estou bem, desfilando roupas novas porque a vida acontece hoje e não quando emagrecemos.

Beijão!

E foco, força e fé em nós mesmos!

Obesidade e diagnóstico das doenças

Bom, como leio muito sobre preconceitos e afins em torno da obesidade, vejo relatos de diversas pessoas (principalmente mulheres) que a solução de determinada situação / doença / nível de alguma taxa em exames se resolve emagrecendo.

Isso é uma verdade? Pode ser sim, não estou dizendo que não. Muitas vezes o excesso de peso influencia sim e encorajo que a pessoa busque a solução, mas sem martírio, sem sofrimento e tal.

Bom, voltando a questão.

Conheço algumas gordinhas que realmente tiverem exames com taxas alteradas, mudaram a alimentação para algo mais saudável e, "pasmem", continuam gordas, porém com exames de fazer qualquer cardiologista bater palmas em pé.

Acredito que, se um médico te diz que a solução é emagrecer e "cabou", desconfie, busque uma segunda opinião... Não que emagrecer seja ruim, mas para muitos resultados de exames, é preciso estudar o caso mais a fundo, não simplesmente dizendo "emagrece"!.

Não quero dizer que ser obeso é legal, bacana e todo mundo deveria ficar assim, gordinho... Comecei a questionar tudo em torno disso, pois muitas pessoas tem nojo de gente gorda e ficam sugerindo, principalmente para mulheres, que deveriam emagrecer.

Sim, nojo.

E deve ter médico com "nojo" também.

A gente precisa cuidar da saúde sim, fazer exercícios, cuidar alimentação e tudo mais. Mas questione tudo, TUDO.

*****************************************

Tenho nutri na próxima segunda, acho que estou pronta para pegar um plano alimentar de emagrecimento e começar de novo essa função.

Agora tenho um plano de academia pago pela empresa na qual trabalho, posso frequentar várias academias. Ainda estou me organizando para conseguir ir em algumas antes do trabalho e depois.

Conto tudo em breve.

Andei fazendo um diagrama de refeições beeeem bacana, mostro ele logo!

Beijão!!!!

Amor próprio

Acho que estou conseguindo ficar apaixonada por mim mesma.

Acho que esse amor bateu forte aqui.

Estou conseguindo me sentir bem, sinto algo bom transbordando dentro de mim. Vontade de me cuidar, fazer as coisas por mim. Vontade de me vestir bem, de quebrar meus próprios preconceitos.

Acho que o divisor de águas foi o blog da Ju Romano (http://juromano.com), vi ela com um vestido que me apaixonei à primeira vista. Mas o que tem a ver uma coisa com a outra? Ela é gorda. E linda, se veste tão bem... Eu NUNCA entrei num blog de moda plus size. Todos os blogs que já visitei eram de pessoas magras mostrando várias roupas descoladas, mas como não sou magra e sim gorda ( e teve uma época que me achava gorda, mas não era né), nem me animava muito em tentar correr atrás de tentar imitar ou me inspirar. Mas depois de acessar aquele blog... me senti representada.

Parei de ter vergonha de mostrar os joelhos gordinhos usando vestido. Comecei a achar lindo mostrar eles.

Uma coisa que o pessoal confunde muito nisso tudo, nesse lance de amor próprio é há duas coisas, uma diferente da outra (quem levantou a questão primeiro foi no blog Cottage Regressiva http://www.cottageregressiva.com.br/ da Raquel e preciso falar sobre isso):

-> Não esperar emagrecer X quilos para se cuidar, se vestir bem...
-> Aceitar que é do jeito que é porque não quer / tá cansada de tentar mudar.

Quando defendo o amor próprio em qualquer tamanho, defendo que a gente primeiro deve se amar e assim, depois, a gente pode tentar mudar.

Não espere uma barriga tanquinho para se sentir bem, não espere N centímetros de cintura para se sentir feliz. Seja feliz hoje e se tiver algo a ser mudado, que se mude, mas com muito amor por si no coração.

Eu não consigo mais fazer dieta restrita e ter vida baseada em "FIT", "foco, força, fé", "só chega lá quem corre atrás", etc... Porque me dá COISAS essas forçações de barra.

Tive que largar tudo, me "desintoxicar" (mesmo que isso tenha significado 6kgs a mais) para então conseguir me amar e conseguir me cuidar.

Terrorismo alimentar

Cada dia mais o terrorismo alimentar ataca.

A coisa que mais amo da minha nutri é que com ela não tem nada proibido, não tem terrorismo com nada, não temos prazo apertado para chegar na meta X (aliás, não temos prazo pra porra nenhuma, a gente deixa a coisa seguir seu ritmo).

Vi uma amiga minha meio preocupada que a nutri definiu um prazo para eliminarem 20 ou 30 quilos (não lembro). Até não era uma meta fora da realidade, 2kg por mês se não me engano, mas eu via ela se matando em duas academias, comendo quase nada, e sofrendo cada vez que dizia que só podia comer um numero restrito de coisas coisas.
 
a nutri doida é adepta disso...

Como eu tenho sérios traumas com dieta e vários processos de perda de peso nas costas, todo mundo teve que ir com calma comigo. A terapia foi devagar, aos poucos, avançando nesse campo. Primeiro trabalhamos a auto-estima e a perda do medo de se cuidar e se amar. Depois, aos poucos fomos invadindo esse campo, recuamos algumas vezes... é sério, o bagulho é tenso. Já tive algumas vezes que me faltou o ar enquanto (tentava) falar sobre o assunto.

Aí, fui na nutri com objetivos bem dispersos, apenas melhorar a alimentação e controlar os sintomas da TPM (antes a tpm durava 15 dias e a última durou apenas 4-5 dias, eram 15 dias de seios doloridos, conseguem imaginar?). Eu queria perder o medo infundado na nutri também, ela sempre foi de boa com as metas e dieta, nunca mandou cuspir nada hahahaha... Mas por conta de todo trauma de tantos anos, eu precisava ir devagar ali também, recuei uma vez e agora consegui avançar em campo: em fevereiro vou pedir uma dieta para emagrecer.
 
Somos adeptos!
 

Ela me mostrou uma planilha onde ela insere medidas de dobras cutâneas e cm's de várias partes do corpo, me mostrou meu índice de gordura (que não lembro) e me mostrou o que seria o saudável e não era muita coisa não, mesmo para quem não tem pressa.

Eu estou afim de me cuidar e fazer boas coisas para mim, me cuidar, me amar... 

Eu bato demais na tecla, mas baterei de novo: Primeiro a gente precisa se amar do jeito que é para então conseguir mudar o que queremos de forma gentil conosco mesma, sem se odiar por ter "fracassado".

Somos mais que medidas, números.

Não tenho mais a pretensão de chegar a 60kgs, estando num índice de gordura aceitável e conseguindo cuidar do meu corpo como ele merece, ficarei feliz demais!
 
 EXTRA EXTRA EXTRA
Recomendo fortemente o site http://juromano.com/ caso alguém ache que não tem como se vestir bem sendo gordinha :)