O que é felicidade? E como o peso interfere nisso.



Estava aqui com o corpo todo dolorido do pilates e uma discussão em um grupo do zapzap me fez refletir um pouco sobre o tema.

O que é felicidade?

Muitas vezes quando estava nos meus primeiros processos de emagrecimento, eu achava que tudo mudaria quando emagrecesse. Que os problemas iriam se resolver, pois aquilo era o que mais me incomodava, logo, eliminando esse problema, eu estaria completamente feliz.

Bom, alguns ciclos de tentativa de emagrecimento depois, aprendi que a felicidade não se resumia ao peso e corpo. Isso era um começo.

Mas e agora, o que fazer com o resto?

Acredito que faz uns 2 ou 3 anos que tive esse insight e somente agora consegui reverter isso.

Sammy, mas e daí tu achou a chave da felicidade? Não.

Aprendi a me amar do jeito que sou, gordinha ou magrinha. Entendi que o processo de emagrecimento não deveria ser algo que me torturasse, que ao primeiro vacilo eu me punisse ou me achasse a pior pessoa do mundo.

Entendi, que para mim, funcionaria esse processo se eu me amasse e colocasse outras "felicidades" na roda. Entender que nem tudo é perfeito foi importante.

Talvez a gente seja feliz em muito aspectos, mas em relação ao corpo não somos tão felizes assim e queremos mudar. Jóia, pois a tua felicidade não está atrelada simplesmente ao formato do corpo quando temos tanta coisa boa na vida. Você entende que viver o agora é o que há, não espera um peso na balança para ser feliz.

*Ah mas não existe gente que é feliz porque é gorda.

Talvez. Não conheço alguém que fosse feliz justamente por ser gorda, única e exclusivamente. Porque isso é muito intimo também, daí complica. Talvez no seu conceito de felicidade não está incluso "ser feliz com esse corpo que tenho hoje e não ficar fazendo dieta", esse é seu conceito e respeitamos, pois é o SEU conceito. Com tanto preconceito aos acima do peso (principalmente mulheres), dizer que quer ser gordo mesmo e tá bom assim  ainda é um tabu.
As crenças e valores pessoais influenciam nesse conceito de felicidade.

*Mas gordo não é saudável.

Conheço gordos que a saúde é muito melhor que muito magro. Tenho um conhecido bem magrinho que tem diabetes e vive com problemas respiratórios. Conheço um gordinho que anda pelo menos uns 5km (ou mais) todo dia para fazer suas coisas e tá bem. Tem gordinho que sofre de colesterol, tenho uma amiga magra que tem problema de rim, estômago, fígado... Tenho amigas magras que tão bem, e gordinhos que estão bem também.

Diagnosticar saúde apenas pelo IMC é uma roubada. Pois fica aquele conceito que magro não precisa se cuidar tanto, porque quem é doente é o gordo. Gordinho e magrinho precisam fazer check up sim, precisam se exercitar sim, ambos precisam se cuidar.

*Então tu quer que todo mundo engorde porque é mais legal?

Pelo amor dos Deuses, não! Não é porque defendemos que a pessoa pode ser sim feliz gorda se ela quer assim que isso signifique que seja tudo uma ditadura pró-obesidade. Não né, pelo amor dos deuses e deusas...

*Sou feliz mesmo sendo gordinha, isso não é um fator determinante para minha felicidade

Se isso não é determinante para tua felicidade, não há nada de errado com isso. Se tá te cuidando, como todo mundo deveria (independente do peso), tá jóia.

*Tá, e o que tá certo? ser feliz gorda ou ir atrás de um corpo saudável, comer até fica gorda, não tô entendendo, Tia Sammy!!!

Você pode ficar do jeito que está
Você pode emagrecer porque o médico recomendou isso em função de algum problema de saúde.
Você pode querer emagrecer porque você acha que fica melhor mais magra, mas não deixa de viver por isso.
Você pode ser magra e se cuidar sem problema nenhum.
Você pode ser gordinha e cuidar da alimentação e fazer exercícios.
Você pode fazer aquilo que é melhor para VOCÊ, não norteie isso tudo com base no que os outros vão achar, os outros não pagam tua conta, tá?
Você, magra ou gorda, pode comer besteira quando sentir vontade de comer sim!

Os padrões estéticos femininos mudam ao longo dos tempos... é só um padrão besta. Não te guia nele não, viu? faz o que te deixa bem. E nunca, jamais, julgue o que pode deixar alguém feliz ou não usando suas crenças e valores pessoais, que são só SEUS.

A discussão vai mais longe, com certeza. Mas não acaba por aqui :)

Beijinhos!

Eu desisti de emagrecer?




De fato, não.

Mas participei de um processo que tinha como objetivo ajeitar minha mente e minha auto estima para que, assim, eu pudesse emagrecer sem frustrações ou problemas com as cobranças que sempre gerava.

Processos de emagrecimento me geraram certo trauma.

Meu maior problema com as dietas é a cobrança e a frustração que gero (ou gerava) porque alguma coisinha deu errado. fazer de conta que arrumava minha mente e emagrecer ao mesmo tempo não dava certo. Nunca deu.

Nesse processo emagreci, engordei, engordei um pouco mais e hoje ao voltar das férias tive uma leve engordada.

Antes de sair de férias, fui numa nutricionista para ajeitar a alimentação e recomeçar. Mas, de fato, estou recomeçando hoje.

Eu precisava me achar linda do jeito que era para que assim eu me cuidasse e emagrecesse por amor a minha mesma. Simples assim (nem tanto, confesso). Não participaria do processo apenas porque estava certo ou errado alguma coisa, mas sim por amor por mim mesma.

Comecei a me cuidar mais, cuidar do meu cabelo que estou deixando crescer, das espinhas do meu rosto que considero hoje curada (tenho pouquíssimas, só se olhar muito de perto elas aparecem, antes meu rosto era vermelho de tantas espinhas). Comecei, depois, a pensar na alimentação para que conseguisse ter uma TPM mais serena. E agora, estou pronta para começar a emagrecer.

Tive uma recaída no final das férias, comecei a do nada ter vergonha de mim mesma, queria me esconder, entrei em pânico, me vi muito maior do que estava vendo, me senti péssima.

Mas dai conversei com meu marido, trocamos umas ideias e acho que agora estou bem, tanto que comecei a trabalhar hoje e não estou com medo dos olhares ou qualquer fofoca sobre os quilinhos que já estavam aqui ou foram adquiridos nas férias.

Parece, aos que olham de fora, que não estou me esforçando tanto para conseguir emagrecer ou que larguei de mão e agora como tudo e mais um pouco. Mas aí que mora o erro dos que te julgam: Estava numa luta árdua para me amar e assim conseguir me cuidar.

Ninguém sabe da nossa história.

Tudo tem seu tempo. Certas mudanças precisam de tempo, de preparo. Às vezes precisamos, primeiro, dar uma limpada nas armas, lubrificar elas e ver se estão OK para então partir para a guerra.

Acho que agora estou pronta.

Beijos e beijos!



Como a gente se cura?



Talvez esteja me antecipando, talvez eu estava... sei lá.

Mas uma coisa que sinto nos últimos dias é: um estado de liberdade quase indescritível.

A terapeuta me perguntou como me sentia com todas as mudanças que fiz na minha vida, em como reorganizei tudo na mente, sobre como hoje estou reagindo e como reagia, e como me sinto sobre tudo isso. (Terapeuta gosta de fazer pergunta difícil, viu...).

Aí quinta-feira estava andando na esteira da academia e pensei nisso: sinto certa liberdade, sinto como se agora sim pude sair da gaiola e agora é questão de tempo para sair voando. Ainda estou dando meus pequenos voos rasantes.

Eu vejo hoje os problemas, as cagadas que de vez em quando eu faço (no sentido figurado, tá), as coisas que antes, se eu fizesse, me sentiria um monstro, um fracasso, alguém que não consegue terminar nada, fazer nada, não seguir nenhum plano (seja lá qual for).

Hoje sou boa comigo mesma, agora estou tentando me alimentar melhor sem o foco do emagrecimento, então, de vez em quando tomo minha cerveja sim (bebo mais nos finais de semana), às vezes durante a semana como meu chocolate, às vezes sinto vontade de comer algo, aquela coisa que parece que te chama sabe? Faço tudo sem culpa.

A compulsão está inserida em várias situações que a gente nem sempre percebe. Se você se sente culpada ou mal depois de faltar um dia da academia e depois tentar "recompensar", isso pode ser uma compulsão, uma tentativa de se castigar por não ter feito tudo certo.

Há vários comportamentos que podem sinalizar que você está tendo comportamento compulsivos relacionados com a obcessão pela perda de peso e pelo corpo.

-> Come demais no almoço e passa o resto do dia sem comer (não pela simples falta natural de fome, mas como punição e compensação)
-> Come demais e depois tenta compensar na academia malhando o dobro (como se uma refeição fosse fazer você engordar 5kg)
-> Fica preocupada quando falta um dia na academia (como se 500kcal que não foram queimadas fossem significar 5kgs a mais)
-> Mesmo cansada e doente, vai malhar ao invés de tentar se recuperar (e pode ficar pior ainda ou demora mais para se recuperar)
-> Cancela compromissos porque tem que sair para correr ou malhar. Deixa de sair com as amigas porque "hoje tem treino".

Muitas dessas situações se originam da culpa que é gerada pelo sentimento de fracasso, como se tivesse trapaceado.

Uma coisa que me policio muito para fazer: quando falto academia, não tento compensar, não tento achar um jeito de fazer "menor dano". Hoje, por exemplo, estou com dor de garganta e dor de cabeça (principalmente na face, ou seja, estou com minha rinite atacada pelas mudanças repentinas do tempo). Me sinto cansado por isso, depois da academia vou tomar banho, pegar "friagem", posso piorar, e não vou morrer por um dia a menos de exercício. E outra, tá nojento meu nariz hahahahaha, tá ruim de administrar.

Então, eu tento achar tudo isso normal, entendo que o que preciso é repouso. Ninguém morre se faltar um dia. Vou continuar cuidando de mim mesma.

"Ainnnnn mas tem que ter foco pra ficar FIT", "Ainnn não arranje desculpas, foco, força, fé".... Enfie o FIT no fiofó (tá aí uma coisa que peguei nojo, essa tal de mania FIT, tudo FIT, vão se cagar).

Nessa vibe mais tranquilona, resolvi voltar para o processo de ajuste alimentar com a nutricionista. Preciso acertar minha alimentação para conseguir ter uma TPM menos xarope (acho que isso resolveria metade dos meus problemas kkk). Agora sinto que não vou mais fugir, pois não estou mais me colocando tanta pressão, tanta cobrança. Minha nutricionista nunca me cobrou ou puxou orelha DE NADA, eu com essa paranoia da dieta e de emagrecimento é que me enfiava nessa cilada.

É a mania de querer agradar, de querer se enquadrar num padrão, numa turminha. Finalmente, estou conseguindo desvincular minha felicidade no meu peso. É mania de achar que só se é feliz quando se está magra. Larga dessa paranoia menina!

Ficou longo o post, mas volto logo!

Beijão.

Em tempo: recomendo o link: https://naosouexposicao.wordpress.com/2016/11/23/qual-e-o-problema-das-blogueiras/





Estamos indo



Uma coisa que parei para pensar e achei muito engraçado: quando me sinto bem, auto estima elevada, diva de mim mesma sempre acho que estou mais magra.

Parece que o quadril diminui uns 15cm, barriga idem, tudo idem.

Mas, continuo do mesmo tamanho, usando as mesmas roupas, nenhuma delas está mais apertada ou larga, tudo igual.

Acho que de tanto a gente ficar nessa busca de felicidade através de um corpo magro, a gente acabe pegando certos "cacoetes", como esse que estou tentando entender, ainda não entendi se está certo ou errado, ou então nem um e nem outro.

Estou tentando desfazer esse vinculo de felicidade X corpo magro, é difícil pois a gente vive anos nessa né? Não vai ser amanhã que tudo vai mudar.

Talvez o corpo ideal magro e coisarada seja meio confundido com a felicidade, como se a gente traduzisse que "apenas com 10kgs a menos serei feliz pois conseguirei fazer isso e aquilo...". É, talvez seja isso.

O ano tá acabando e faltam menos de 3 semanas para titia Sammy tirar férias! Tenho várias pequenas coisas para fazer, pois foi o que consegui hahahahaha. Mas tudo será lindo e delicioso.


Bom, sobre vida saudável e afins...

Hoje me matriculei na musculação nas terças e quintas ao meio dia, como comecei o pilates nessa segunda, tive que ir na sala de musculação para fazer minha ficha. E na sala, os aparelhos estavam às moscas. Pensei, pensei... Acho que aqui é o lugar ideal para fazer musculação! Não compromete meu horário depois do trabalho (fico livre para fazer tudo que der na telha) e ainda consigo ir na musculação num horário onde o esquema tá vazio e de quebra, no horário que terminar os exercícios, os chuveiros do vestiário estarão vazios! Ou seja, mundo perfeito de titia Sammy!

Ok, falta pouco para sair de férias, logo vou acabar parando com a musculação, mas sabe que antes cedo do que nunca, viu? Ahhhh eu tô afim de fazer, por que adiar? Já vou aproveitando desde já!

Aí, de repente nas férias eu me matriculo em outra para fazer naquele horário onde estaria trabalhando :).

Enfim, só sei que acho que tô conseguindo me coordenar. Sinto que tô fazendo tudo isso porque quero me cuidar, não por estar em busca do corpo perfeito. Acho que dessa vez está saudável.

Sobre alimentação...

Ontem me deu um siricutico e uma fome de fruta! Enquanto ia para casa, fiquei pensando em como seria delicioso uma batida de abacate com banana. E como seria delicioso comer um mamão papaia. Cheguei em casa, larguei o carro, botei a sacola embaixo do braço e fui na feira.

Comi tudo com vontade! E trouxe frutinhas para comer durante o dia.

Dizem que quando a gente fica com muuuuita vontade de comer alguma coisa, pode ser que o corpo esteja pedindo por aquelas vitaminas / minerais. Bom, atendi ele hehehehe...

Sobre vida....

Ando beeem de boa, eu tê me apaixonando por mim mesma, tive algumas pequenas crises existenciais semana passada (tpm + confusão + problemas + carência). Mas tá tudo joia agora.

Estou terminando de ler o livro "liberte-se da fome emocional", foi o livro que mais me empolgou nos últimos tempos, anotei muita, mas muita coisa dele.

Tô tentando não deixar isso aqui abandonado.

Volto logo.