Chega de tentar se consertar


Acho que esse é o maior problema nas dietas.

A gente come em excesso por duas razões:

-> ou é porque faz a comida girar em torno de todas as relações pessoais, tipo, se alguém vem na tua casa tu acaba fazendo um baita churrasco, por exemplo. Sair com amigos? Só se for pra ir num rodizio de qualquer coisa. Fazer algo diferente inclui também uma baita janta de te deixar redondo.

-> ou é porque você come suas emoções, suas frustrações e etc.

De certa forma minha família, por parte de pai, leva aquela coisa de mesa farta sempre muito a serio, serio mesmo. Qualquer ida na casa de uma tia ou outra sempre tem muita comida, mesmo que não vá jantar ou almoçar, no meio da tarde sempre fazem algo muito grande pra te esperar.

Muita comida.

Não culpo e nem jugo eles pois eu tenho minhas teorias quanto a isso, mas como os parentes leem o meu blog, não vou falar. Deixa pra lá.

Mas vamos nos atententar a razão numero dois.

Sempre comi para preencher vazios, para lidar com os problemas e as dores da vida. A vida é feita de dor sim, mas talvez o medo de enfrentar essas coisas ou o medo de se relacionar bem com elas é que leva a gente a fazer besteira.

Até uns 20 anos comia porque a cultura aqui de casa era comer, e eu tinha um membro da família que vivia comigo e era compulsivo alimentar. Sempre tinha muita comida e muita bobagem pra comer em casa.

Depois, comecei a trabalhar e tinha dinheiro pra comprar o que quiser para comer. Pronto, tive minha primeira engorda, digamos, significativa. mas depois emagreci aqueles 15 quilinhos adquiridos.

Depois de um tempo, como eu não tinha consertado minha relação com a comida, acabei engordando muito mais, pois tinha lá minhas frustrações e problemas. Uma das grandes frustrações foi não manter aqueles 15 quilos longe de mim… e também porque não entendi que comer demais me levaria a engordar de novo, mesmo que tivesse perdido aquele peso.

Bom, sem controle nenhum sobre nada, engordei 30 quilos, cheguei aos 90kgs, tão tão distantes dos 60 e pouquinhos que eu estava há pouquíssimo tempo atrás.

Aí acordei.

E a historia vocês já conhecem. Emagreci quase 30 quilos.

Porém, não adianta emagrecer se nossa relação com a comida continua confusa.

E a minha estava mais que confusa, estava terrível.

Estava de mau humor? comia. Estava com tedio? comia… estava realmente chateada? eram dias comendo…

Bom, aí de certa forma não foi espanto pra mim conseguir sair dos 60,5kgs e ir para os quase 70kgs de hoje de manhã.

Bom, lendo o livro Mulheres, Comida e Deus entendi uma coisa: na dieta a gente tenta sempre só se consertar, como se estar magra fosse resolver todos os problemas e afins.

Os problemas nunca me engordaram, a comida sim me engordou.

Comia para resolver as pendencias do dia a dia, e acabava engordando. Aí eu dizia que a culpa da minha infelicidade eram minhas coxas grossas, a barriga gigante. Mas não era não….

Cada vez que eu comia para tentar resolver qualquer coisa, eu me distanciava de mim mesma, eu tinha a oportunidade de dar a volta pro cima das dificuldades do dia a dia, mas não, preferia sair do meu EU e me aventurar no mundo de açúcar e gordura. Imaginava a vida totalmente diferente, tudo lindo, me imaginava magra, sem problemas, com tudo resolvido.

Gente, eu comia por tédio, por ter nada para fazer!

E cada vez que eu ficava nessa de sair de mim mesma ia me distanciando… e quando voltava, me via gorda e com a boca cheia do gosto do que eu acabava de comer, barriga doendo de tanto comer, pensava: olha como sou, sou gorda, comilona, não tenho jeito, preciso parar de comer, olhe esses braços gordos, meu Deus… só que não me tocava que a minha relação com a comida é que estava totalmente errada.

Acho que não seria novidade contar para vocês que comida serve para alimentar o corpo (e não a alma) e só. Deveríamos comer quando sentimos fome e até ficarmos satisfeitos.

Eu como para preencher os vazios da alma. Não tenho tantos problemas hoje em dia que pudessem me levar a comer feito doida, mas essas crises compulsivas me deixaram vários vazios na alma e hoje preciso acertar isso, e não será com comida.

Uma coisa é certa: não vou mais tentar me consertar, não daquele jeito como quem precisa resolver os dilemas do mundo, com aquela pressa ou sei lá o que. Isso não tá certo.

De que adianta eu consertar meu corpo se minha alma continua machucada?

Uma coisa que seria bom fazer é o seguinte: tá te dando aquele impulso de comer? para e pensa se está realmente com fome… se não estiver com fome, tenta olhar pra dentro e analise o que tens lá dentro… alguma dor, alguma chateação, problema? Investigue ela, tente entender, o que fez isso surgir? Quem é essa pessoa que está sentindo isso? É meu EU adulto ou, sei lá, quantos anos tem esse EU que está sentindo isso?

Pegar e analisar o que sente, entender o que acontece com a gente é um passo para que a gente não se distancie de nós mesmos.

Quanto mais nos distanciamos de nós mesmas, pior ficaremos.

Tá e a comida?

Devemos comer o que o corpo quer e quando precisa. É difícil? É, pois de certa forma mudar é complicado.

É muito confortável viver na comida, comendo. É um mundo confortante, onde ninguém pode te encher o saco, onde ninguém te põe defeitos, tudo é perfeito enquanto se come aquela panela de brigadeiro. Mas todas sabemos que isso tudo acaba com a ultima colherada, e depois da ultima colherada ficamos sempre piores, pois teremos dois problemas: o que nos levou a comer e a culpa de ter comido demais, de novo.

Devemos comer o que nos faz bem, o que ajuda no nosso sono, o que ajuda a dar pique, essas coisas.

Fazer exercícios é bom, fortalece os músculos e nos dá disposição para encarar o resto do dia.

Esse feriadão de carnaval aprendi algumas coisas…

Eu comi só bobagem todos os dias, e mesmo dormindo 10 horas de sono quase que continuas eu acordava cansada e passava o dia assim, cansada e com o humor uma bosta.

O que comi não era o que meu corpo queria, nunca quis o que eu dei pra ele.

Para viver melhor, com bom humor e saúde, preciso dar ao meu corpo o que ele realmente quer.

Os furos na alma? Preciso meditar e me aproximar mais de mim mesma para entender como consertar isso. O estrago tá feito, mas nunca é tarde para colocar as coisas no lugar.

Comer toda hora, “furar a dieta” ou sei lá como querem chamar é um habito que preciso me livrar, digo até que há vezes que como mais por automático do que qualquer coisa, me acostumei a simplesmente enfiar comida na boca.

Sabe o que ajuda? comer sem nenhuma distração, sem televisão, sem revistas, sem celular, nada disso pra atrapalhar o ritual da refeição. Comer sentindo o sabor das coisas, não há nada melhor que isso e acho que todos deveriam experimentar.

Era isso, feliz ano novo!

Bjus!

12 comentários:

  1. Muito legal esse post. Acho que revela o que sentem a maioria de nós que está em busca de uma vida saudável e equilíbrio.

    Perfeito!

    ResponderExcluir
  2. E lá vamos nós, né Sammy? Meu carnaval foi um desastre, mas agora não adianta reclamar... Bora perder, de novo, esses kgs :/
    Bjão e força pra nós!

    ResponderExcluir
  3. eu ainda tenho uma relação confusa com a comida por causa da compulsão alimentar.. é complicado porque é tudo meio no automático.. tipo qdo vi ja comi..rs.. mas em casa tbem tem muito disso de ter que ter comida pra "receber" as visitas.. é só dizer que alguem vai em casa que a minha mãe compra o mundo em forma de comida.. e não há cristão nesse mundo ke tire esse costume dela.. bjokas lindeza e sucesso sempre

    ResponderExcluir
  4. Oi Sammy, penso mais ou menos como vc. Tenho problema de fome emocional e é terrível. Ontem mesmo estava triste e comi chocolate pq achei que poderia me sentir melhor e no final só me senti pior por não ter resistido e entendido que aquele chocolate não iria resolver meus problemas.

    Mas vamos em frente, pois não podemos desistir jamais.

    Força na peruca.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  5. Nossa Sammy, que post lindo! Me vi nele também... eu não tenho comido muitos doces, mas tenho sentido falta de batata frita todo dia, mas é um buraco na alma mesmo, cansaço do trabalho que eu quero preencher com comida, mas não dá né? Vamos resistindo um dia depois do outro, parar de viver de "exceções" que a gente faz virar um hábito todo o dia... e se você voltar a fazer o caminho que fazia antes, vai estar com 60kg de novo logo logo!!!

    ResponderExcluir
  6. Essa coisa de comer emoções engorda, comer muito engorda...na minha vivência isso não foi verdade, quando não tinha passado dos 40anos, eu comia os problemas, as tristezas, os conflitos...todos e não eram poucos e mais barras de chocolates, caixas de bombons, Bobs e Mc.D e o que mais aparecesse e nunca passava dos 58kg, quando muito, kkkk, hoje os problemas diminuíram 70%, como infinitamente menos, digamos que 80% das besteiras que comia hoje não como e pra emagrecer tenho que restringir muito a quantidade e fazer muita atividade física, coisa que antigamente fazia, mas nada demais, umas 3 vezes por semana, daí, concluo que é o metabolismo que facilita a engorda. Se eu comesse hoje o que comia antes, com certeza estaria com três dígitos, e vigio pra não passar dos 75kg e LUTO pra voltar aos 65Kg pelo menos,e Na-da!! Afinal, os magros também comem seus problemas muitas vezes e nele o efeito é o contrário, emagrecem,kkk, já cansei de ver no meu trabalho mesmo, pessoas magrinhas e fazendo tudo, até mamando leite condensado à noite e não engordava uma grama, verdade!! Então eu concluo que é o metabolismo da pessoa que não favorece ao que ela deseja, nem engorda quando a natureza é de ser magro e nem emagrece quando a tendência é ser gordo. O jeito é tentar vencê-lo, o que não é muito fácil, mas possível. Com tempo,persistência e paciência um dia chega-se ao peso desejado, e não poderá baixar a guarda Jamais!!!Não é fácil.
    Se você já foi capaz de emagrecer tudo isso, é só uma questão de paciência, persistência e calma que você consegue, já foi dado o grande salto, o resto é ir com calma e convencer seu metabolismo/corpo a se convencer do seu peso desejado. Eu já convenci que o máximo pra mim é 75kg já foi 78kg e tal, retirar esses 5kg tem sido terrível, saem 3kg e voltam, há anos, nisso, AFF!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é que com o passar dos anos, o metabolismo vai ficando mais preguiçoso... aos 20 anos o corpo é o the flash do metabolismo para alguns... o meu metabolismo é preguiçoso mesmo tendo 25 anos... :/

      Excluir
  7. Gostei muito do texto pois me identifiquei com muitas partes. Para mim, tem muito de cultura também, essa coisa de comeeerrr!
    Hoje mesmo estava ouvindo uma reportegem de uma Senhora de quase 80 anos, sobre superação e acredite ou não; ela disse que ouviu muitos "nãos" na vida e o primeiro que citou foi o "não" da mãe. Parei de culpar minha mãe por tudo, depois que meu pai morreu e vi que ela era só uma mulher, com erros e acertos, como eu também sou; hoje tenho um casal de filhos e trabalho muito na minha filha essa noção de meus limites...Minha casa na infancia, sempre foi uma casa com muita comida, e numa época em que isto significava uma boa posição social, saúde, bla, bla, blá!
    Hoje se comer muito, ou quanto comia ântes de emgrecer por volta de 30k (dos quais ganhei 5) passo muito mal. Este é o sinal. Estomago estufando, começando a respirar fundo na garfada seguinte? parar...
    Nem sei porque citei minha mãe; acho que o texto me fez recordar!

    Força e vamos lá!
    2013 começou agora
    depois do Carnaval!

    ResponderExcluir
  8. precisa comentar??? hehehe, curti!

    ResponderExcluir
  9. Nossa Sammy, você é maravilhosa. Em 10 minutos li dois posts seu e já virei seu fã. Tenho 29 anos, sou homem e estou uns 30 quilos acima do meu peso. Já tentei um monte de coisas, mas sempre me desanimo, com o primeiro problema que aparece, que não tem nada a ver com comida, mas a comida é onde eu desconto minha raiva ou minhas angústias meu tédio. Enfim, as vezes tudo gira em torno de comida pra mim. Ao invés de eu me preocupar com coisas de trabalho, ou planejando alguma viagem eu fico pensando o que vou comprar de gostoso no mercado. É dificil conter isso, mas eu to tentando. Me identifiquei muito com o que você disse! Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é uma honra ajudar pessoas com os mesmos problemas que eu!

      Sei bem como se sente... já descontei todos os sentimentos possiveis na comida!

      Teve uma época que eu ia no onibus pensando o que comprar no mercado quando descesse do onibus... comprava um monte de coisas e comia escondido, e ficava muito brava quando não comida tudo, pode uma coisa dessas????

      seja bem vindo, espero que o blog possa te ajudar!

      Excluir
  10. Olá,
    Me identifiquei c/tudo q vc escreveu.
    Desde criança aprendi q fartura é status social, rejeitar algum prato é o mesmo q dizer q não gosta da pessoa e de lá p/cá observo q eu como qdo estou alegre, triste mas principalmente qdo estou cansada! Penso em comida o dia inteiro (ao contrário do meu pai q é magro e come feito um passarinho)
    Já descontei tudo qto é frustração em comida... Desde q a minha mãe morreu, assumi o lugar dela no sentido de manter a casa em ordem, em pé mesmo. O tempo passou, meus irmãos casaram e eu fiquei ali, de canto, sempre tentando dar suporte p/os sobrinhos q chegaram... Enfim, reconheço q me deixei de lado durante todo este tempo - e agora acumulo 30 quilos de excesso.
    Mas nunca é tarde p/recomeçar. Emagrecer só depende de mim e do meu esforço.
    Bjos,

    ResponderExcluir

Fiquem à vontade!