Seja fiel a ti mesmo




Li um artigo muito bom, de um site que recomendo infinitas vezes pois sempre tem alguma coisa boa e que me faz pensar: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=13313.

Faço coisas que muitas vezes as pessoas não teriam coragem de fazer, principalmente se falando de mulheres. Usar Melissas estravagantes (quem conhece sabe que tem modelos bem divertidos), usar um all star sujo, usar uma touca estilo rastafari, unhas sem esmaltes, beber cerveja, conversar abobrinha, falar palavrão sem pudor nenhum, gostar de carros e não se sentir intimidada em conversar a respeito disso com homens, principalmente quando eles podem me ensinar algo sobre o assunto. Tenho um porco rosa no meu carro, de enfeite (ok, às vezes maridex esconde ele quando pega o carro, mas mesmo assim ele acha divertido aquela coisinha ali hehehe), quando comprei a porquinha sentia vergonha de usar... Mas que se dane, não é novidade para ninguém que amo rosa. Foda-se. E ela está lá!

Como meu marido diz: sou uma mulher fora de moda. Mas antes de falarem mal dele, achando que ele está me botando defeito, preciso esclarecer: ele diz isso como um elogio. Ele diz que eu não vou junto com a multidão, não tenho as coisas porque todo mundo tá usando. Só uso o que gosto, não porque todo mundo está usando. Esse negócio de imitar não é comigo. Aliás, detesto ver gente igual (com exceção de uniforme, que é claro, uniforme), por exemplo: essa moda das calças listradas... eu saía na rua e tinha umas quantas figuras que nem zebras... Seria lindo, mas essa coisa meio "par de vaso" não rola comigo.




Acho que boa parte da minha vida eu me escondi em cores discretas, roupas discretas, nada na moda, porém como eram peças comuns, ninguém torcia o nariz também.

Perdi as contas das vezes que comprei roupas lindas e não usei por pudor do julgamento dos outros: é o que o mundo espera de mim? O que será que vão falar? Vão rir de mim? Vão ficar me olhando?

Acredito que toda essa preocupação eu fui eliminando aos poucos num dado momento que não vem ao caso. Aos poucos fui me desligando (e ainda estou me desligando) dessas amarras e correntes. Há quem diga que há coisas que eu deveria ter largado de mão por conta da idade, mas acho que felicidade não tem idade e se algo te faz sorrir, que assim seja.




Uma amiga esses dias raspou um lado da cabeça... Olhei para ela e vi: Essa é minha amiga de verdade, essa é a mais pura essência dela, não adianta ela tentar ser de outro jeito, ela é assim e pronto. Parecia que eu via uma aura mais cintilante e bonita quando vi que ela estava sendo ela mesma, sem pudor. Sem essa de fazer aquilo que os outros esperam de ti.

Quando somos apenas nós mesmos, isso torna a gente mais bonito.

Minha mãe tem 56 anos, adora roupa colorida e tá nem aí. Ela tem várias leg's coloridas e usa elas sem estresse. Há quem possa dizer que não é adequado pra idade dela, mas ela gosta de cores, sempre gostou de estampas. E fico feliz de ver ela assim, ainda mais depois de tudo que ela passou.

Antes até julgava as senhoras que se vestiam de colorido e com roupas que a maioria chama de "roupa de guria", mas hoje em dia, pensando bem... Poxa vida, com tanta cor no mundo, limitar alguém a usar apenas cores "sérias" é pra matar...

As pessoas se apaixonam pela gente não porque estamos na moda, ou porque temos belas pernas, ou então porque nossos olhos são verdes e nosso cabelo está bem cuidado. Claro, temos a terrível primeira impressão, mas depois de um tempo o que fica mesmo é o que somos, por isso digo que há coisas que não tem como disfarçar ou esconder, tudo um dia aparece. Não adianta se vestir como uma lady, linda e maravilhosa e ser um lixo de gente.

Não adianta tentar se transformar em algo que tu não és, ou tentar passar isso nas redes sociais. Se estás precisando provar alguma coisa para alguém, acho que você tem sérios problemas e o buraco é mais embaixo...

Seja feliz do jeito que és, se for para mudar, que seja com as experiências que a vida nos dá, que seja ao natural, sem pressão.

Bom, não sei se me entenderam, mas acho que consegui passar o desabafo né?

Um doce light pra quem adivinhar minha última aquisição (que está chegando pelo correio). Em breve, fotos!

BjuuuuuuS!

Imagens daqui e aqui e aqui

O lado exótico da minha vida

Se alguém tá esperando fotos nuas minhas, em posições pitorescas, sinto muito em desapontar vocês... Mas juro que lá vem coisa interessante.
 
O lado ótimo, o lado sensacional  e fantástico de ser vegana é que a pessoa acaba abrindo muuuuuito a mente, e acabamos experimentando de tudo, conhecendo de tudo e enriquecendo nosso leque de opções alimentares.
 
Bom, no sábado fui na minha tia e ela dividiu com a gente metade de uma gila...
 
 
 
O que é uma gila?
 
Ela é uma fruto muito popular em lugares frios, tipo Bom Jesus aqui no RS e algumas cidades em SC. Ela parece uma melancia, possui um aroma refrescante e dá pra fazer diversas receitas com ela, a mãe fez um doce, mas há quem faça até pratos salgados.
 
"A gila é uma espécie de abóbora, de nome científico Cucurbita ficifolia, e se assemelha externamente a uma melancia. Mas ao abri-la, seu interior consiste de uma polpa branca e fibrosa, com sementes grandes e escuras. A fruta provém de uma planta perene, trepadora, com folhas manchadas de branco. A gila, que é conhecida desde a infância de muitos moradores idosos da cidade, se perpetuou pelos quintais das casas em Bom Jesus sem ter sido plantada. Aliás, muitos acreditam que as sementes não devem ser plantadas e sim jogadas sobre a terra para ocorrer a germinação."
 
Ela é uma fruta bem... Diferente. Já era tarde quando descobri que não podemos manipular ela com objetos metálicos. Como é que faz pra partir ela, então? Atira no chão.
 
Meu tio cortou ela com faca, minha mãe ralou ela num ralador de metal... enfim, mas conseguimos salvar a fruta: tem que lavar os pedaços dela até parar de sair espuma, e deixar de molho de um dia para outro e aí sim ferver e fazer o doce.
 
Mas deu tudo certo, o doce ficou ótimo!
 
 
Hoje estive pensando: vou fazer um pastel assado dessa maravilha, deve ficar tão bom como pastel de maçã, sabe?
 
Alguém conhecia essa gracinha?
 
Bjuuus!
 
 
 
 

Olhar carinhoso sobre nós mesmas




Tem um blog muito, mas muito bacana que ando lendo e ultimamente tem tido vários posts muito bons (http://desobedienciavegana.blogspot.com), daqueles que te fazem pensar, pensar...

Não estou dizendo que me acho a melhor do mundo, a coisa mais linda que já se viu. Claro, tem detalhes em mim que não gosto, mas aprendi a gostar de coisas que há pouco tempo atrás achava o cumulo.

Não... dizer que aprendi a gostar é péssimo, não é isso... Aprendi a me olhar com olhos mais generosos, com um olhar menos "julgador", menos severo. E aí quando tiramos esse peso, as coisas ficam bem mais fáceis.

Eu ainda tenho sobrepeso, tenho bundão, coxão mesmo. Celulite também (e quem não tem?). Na parte da frente da barriga, na região do umbigo tenho uma gordurinha sim (diz minha profi de academia que isso é por conta de todo excesso de peso que tive, mas que irá se resolver com os exercícios), tenho estrias parecidas com as de grávida na lateral da barriga (fruto da obesidade também). Mas mesmo com tudo isso, me acho linda de jeans, de vestido, muitas blusas coladinhas ficam uma graça e nem aparece tanto aquela gordurinha da barriga... Tenho cintura marcada, mesmo com barriguinha, amo minhas saboneteiras, meus ombros magrinhos, sequinhos... Tenho paixão pelos meus ombros. Adoro o verão pois nele posso mostrar meus ombros lindos!




As mulheres hoje em dia são cobradas demais e a sociedade não sabe direito o que quer da gente, devem trabalhar (ou os companheiros se acham muito macho pra deixar a mulher trabalhar e as proíbem), devem estar lindas, devem cuidar da casa, devem ter filhos, devem se comportar, não podem "dar" no primeiro encontro (mas aí chamam de mulher difícil), mas se "der" no primeiro "olhe aí uma vagabunda!".

Mulher sofre com o julgamento das outras mulheres, tem mulher que pinta as unhas para que as OUTRAS não a chamem de relaxada...

Acho que as mulheres tem um grande probleminha, não todas, mas muitas: precisam de aprovação. Precisam que aprovem o seu corpo, suas roupas, suas atitudes de mocinha, de mulher... Muitas só se sentem felizes se conseguirem ver que os homens gostam do que vêem nelas... E o que elas sentem, o que elas gostam? Valorizo muito quando alguém é "senhora de si mesma" e tá cagando pra opinião dos outros.

Há quem julgue meu cabelo curtinho, acham talvez que eu deveria ser mais feminina, ter cabelão, se não já chamam de qualquer coisa.

Se olharem para mim hoje, o que estarei vestindo? Um All Star velho e sujo, uma calça jeans, blusa amarela soltinha, nada de maquiagem, brincos de argola e perfume. Aí vejo aqueles olhares reprovadores do tipo "deve ser machorra", "coitada, essa não sabe se vestir". Quando estou vestida assim, tem gente que nem sabe como conversar comigo!

Mas aí amanhã resolvo vir com uma blusa linda, calças novas, salto alto, maquiagem, brincos lindos, pulseiras, anéis e me soltam essa: veio de mulherzinha hoje, hein? E conversam comigo com um sorriso no rosto... Oi?




Opa! Por que uma simples casca, um simples pano é que tem que dizer o que sou ou deixo de ser? Eu visto o que estou afim, o que meu espirito pede, meu humor pede. Eu não me massacro por não ter dado tempo de colocar maquiagem, se não deu, não deu. Sou linda com olheiras, com manchinhas no rosto, com tudo isso à mostra ou com tudo isso disfarçado com maquiagem.

Nesse mesmo blog que citei láaaa em cima, em um dos posts ela fala sobre como as mulheres tem a mania de ficar reparando no corpo da outras, reparam na bunda, nas pernas, nos seios... As mulheres, como eu disse, sempre esperam aprovação dos outros para suas atitudes e jeito de estar, elas querem ver se a bunda dela é maior que a sua, se ela tem mais peitos, se ela é mais magra ou mais gorda e independente do "resultado" dá um jeito de julgar... Pra que ficar se comparando, achando defeito nas outras?

Por isso acho errado quando em alguns blogs as meninas se inspiram em celebridades magras e com corpos "perfeitos", ficar se comparando com as outras leva a NADA... Cada corpo, por mais parecido que seja com outro, mesmo que sejam estruturas parecidas, são diferentes... Totalmente diferentes, o formato em si será diferente, tudo!



Mulheres falam muito em liberdade, em ter seus direitos, no preconceito que sofrem mas esquecem que muitas vezes são prisioneiras de si mesmas... E se deixam aprisionar...

Não se aprisionem, se amem, vocês são especiais, com gordura ou sem gordura, com pé grande ou de boneca... Tudo é conjunto de uma bela obra que a natureza lhe presenteou.

Beijos.

**Fotos do post: fotos aleatórias de gente que tá nem aí de usar biquini na praia! :D

Sobre as relações




Preciso, necessito muito escrever sobre isso, talvez o post seja looooongo, mas guenta aí que acho que vale a pena tá?
Talvez eu mexa no brio de alguém, mas que se dane kkkk...

Bom... Como sabem, eu to numa vibe super bacana, tranquila, serena e valorizando o que vale a pena.
No emagrecimento estou aprendendo a viver em equilíbrio, me alimentando bem e aliando tudo com exercícios e a corrida que adoro. E tudo isso sem pressa.

E sabe que nesse ano que passou (estou tomando como referência outubro do ano passado até agora), aprendi muita coisa boa e descartei muita porcaria fora, energia negativa mesmo sabe?

Refinei bastante minhas relações, talvez hoje meu circulo de amizades esteja um pouco menor do que já esteve há um ano atrás, talvez hoje eu tenha apenas as pessoas que me querem bem ao meu lado.
Conheci pessoas maravilhosas, outras conheci melhor, e com outras me surpreendi positivamente (e outras negativamente, mas isso ajudou a não levar um tombo muito grande mais adiante). Viver vale a pena.



Acho que quaaase perdi algumas amizades, digo quase pois "ficamos de mal" e depois voltamos de mansinho a nos falar e sorrir uma pra outra. Às vezes isso é preciso, exatamente para refinar a relação, para tornar ela muito melhor, mais agradável.

Aprendi a diferença de pessoas que devem ser consideradas "conhecidas" e "amigas". Tenho conhecidas com as quais o papo rola duma maneira bem boa, mas não contaria certas coisas que conto para minhas amigas mesmo... Entende? Não podemos querer transformar todo mundo em amigo do peito pois isso pode não dar muito certo... Sob meu ponto de vista, claro. Há coisas que é bom separar.

Tentei transformar muitos amigos em amigos do peito e nessa me lasquei bonito, agora esses estão num grupo beeeem seleto.

Resolvi não "fazer questão" de ter certas amizades, se elas não me valorizam, se me abraçam e dizem que estão com saudades mas fazem isso por educação. Não preciso de esmolas, não preciso que façam de conta que gostam de mim, tenho pessoas me transbordando amor, não preciso disso.

Posso dizer que ando cortando todo tipo de excesso, excesso de peso e excesso de pessoas, sabe tudo aquilo que não precisa, não presta e é tipo peso morto nas costas da gente? kkkk

Tenho tentado me isolar dessas pessoas, da melhor maneira possível. Perder tempo com essa gente não presta, dá azar.

Tem gente que fica bravo comigo e nem sei porquê, corta a relação, acho que é o destino que deu conta de tirar os pedregulhos do meu caminho. Só posso agradecer a vida por isso. Assim não corro o risco de tropeçar quando estiver indo em direção aos meus verdadeiros amigos.

A vida é feita das relações, e elas nos constroem como pessoa (ou nos destroem) e acho que a gente não deveria perder tempo com teimosia, com as desavenças (deixem elas no passado ou larga a figura de mão e vai ser feliz), ou correndo atrás de quem não tá nem um pouco afim de se entregar por inteiro na tua amizade.




Tenho amigos ao meu lado todo dia, amigos longe de mim, amigos online, amigos offline... e de todos tento cuidar com o amor e carinho que eles merecem!

Onde aprendi tudo isso? Onde tirei todas essas conclusões? Com meditação.

Meditem, crianças... Meditem!

Andei meditando bastante por conta de alguns acontecimentos, e a meditação te traz muitas respostas. Talvez as respostas que obtive sejam muito intimas, são respostas só minhas, mas elas servem para mim. Para minha vida elas são perfeitas.

Nesse último ano passei por transformações bem fortes, seja na vida, nas relações, no estilo de vida em si... Passei a ver as coisas de uma forma totalmente diferente!

Andei nos últimos tempos com meu coração aos saltos, sabe? Aí pensei: se for para morrer do coração, que seja na emoção (boa), não na incomodação!

Acho que a gente merece ser feliz, por que perder tempo com gente sem vergonha? Só se for sem vergonha de ser feliz! hehehee...

Que tal?

Sammy jura que não fumou nada... :p

Já participou do sorteio do blog? Não?!?! Clica aqui!

Meu encontro com a Karen!

 
Gente, é tudo de bom essa menina!!!
 
(só não reparem a foto, que ela segurou o tablet e eu cliquei no botão pra tirar a foto, por isso to com os olhos olhando ao contrario kkkk)
 
 
Ela é uma querida, muito querida! O filho dela é um amor também!
 
Meu sonho era conhecer minha diva blogueira, ela sempre foi uma das minhas principais inspirações para mim!
 
O encontro foi rápido, mas ficou pra história!
 
Firmamos o trato: nunca perder contato! E se puxar pra ficar TODA BOA!!!!
 
Bjuuuuuuuus!
 

 

Acho que faz um mês que não coloco químicos no café...

 
"Ah mas colocam sei lá o que no café, e é químico"... O post não vai entrar nesse detalhe, tá bom, crianças? Falo de outros químicos...
Pois então, acho que deve fazer um mês que não consumo mais café com açúcar ou adoçantes, minha banana amassada com alguma farinha não leva mais essas gotinhas envenenadas...
Eu não escolhi tomar café amargo por querer ser radical na minha dieta, no meu veganismo, por obrigação... Eu preciso dizer que eu ADORO café sem açúcar/adoçantes! Sabe quando a gente diz: quem dera se o café tivesse o mesmo gosto do cheiro... Gente, prove café sem açúcar! É ruim de começo, mas depois acostuma! Sério, ele até é meio doce, gente eu sinto o doce do café!!!
Vi no Globo Rural do último domingo sobre como produtores brasileiros estão tentando melhorar a qualidade do café. E um degustador de cafés disse para fazer a seguinte experiência: ao coar o café, coe ele em 3 partes: coe 1/3 de água, depois em outra caneca coe outro 1/3 e em outra caneca coe o 1/3 restante. Agora prove cada um:
-> a primeira parte será ácida
-> a segunda será adocicada
-> na terceira parte, está a parte amarga da bebida
Caso queriam saber mais sobre essa reportagem, tem um resuminho AQUI e AQUI.
 
Vi uma cara de decepção de alguém esses dias (não citarei nomes) que fez cara de velório quando lembrou que não uso açúcar no café: ah é, tu não coloca açúcar no café... AFFFFFFFFFFE Maria! Por que isso incomoda tanto os outros? Gente eu tô feliz sem esse açúcar, eu juro!!!!
Pesquisando por aí, achei alguns beneficios e malefícios do café, confirmando que moderação é tudo nessa vida, minha gente... Acho que ando tomando no máximo umas 3 doses de café, mas preciso dizer que tem dias que exagero, preciso melhorar isso!
 
O café possui alguns nutrientes bem interessantes, e outras propriedade que dando uma pesquisada na internet se descobre. Mas, caso tenha problemas para dormir ou problemas de coração é bom prestar bastante atenção no consumo e cuidar para não exagerar na dose...
 
No geral, acho que tenho usado muito pouco açúcar, e quando uso alguma coisa parecida com ele (como, por exemplo, melado), tenho usado com moderação. Pois o melado, mesmo sendo açúcar puro, pelo menos tem ferro! Usando ele com alguma fonte de fibra ou algum outro alimento, ele entra devagar no nosso organismo, sem causar nenhuma algazarra e ainda nos dá alguma coisa em troca.
 
Acho que muita gente vai dizer: ahhh café dizem que faz mal por isso, por aquilo... Eu sei perfeitamente disso, mas há estudos que dizem o contrário, que com moderação ele pode ajudar bastante também, trazendo alguns beneficios... Mas e o açúcar? Eu duvido que tenham estudo defendendo um veneno desses...
Mas preciso dizer que, mesmo gostando muito do café assim, o primeiro gole é critico (acho que o choque do amargo dele dá um sustinho), mas o segundo... o café já fica bem melhor! Eu juro, não desistam!
Já li por aí algo assim: Existem 3 pós brancos que são um veneno para as pessoas: cocaína, sal e açúcar.
Poderia falar de alguns links e livros contra o açúcar que achei por aí, mas... o foco do post era o café e minha experiência com ele, então, preparem-se: estou lendo um livro-bomba sobre o açúcar (Sugar Blues), preparem-se para ficar com nojinho do açúcar...
Beijos!
Sammy tá se puxando...

Já viram que tem sorteio aqui no blog? NÃO!?! Clica AQUI e participa!