Organizando a vida




Não reparem o monte de tralha ali em cima, mas estava beeeem pior, aliás, agora está limpinho, pelo menos. Antes, tinha plumas de sujeira por tudo.

Tem coisa vegana aí e tem coisa que não é, coisa que comprei ou ganhei antes disso e que ainda está na validade, não tem porque jogar fora.

Senti mais necessidade de me cuidar essa semana, em todos os sentidos, por dentro e por fora. Cuidar da alimentação, cuidar da pele externamente também... Por que não?

Teve um tempinho que fiquei sem essas frescurinhas, mas sei lá, tava meio perdida.

Comprei muita coisa que depois não usei e venceu.

Hoje arrumei dois cantinhos de "beleza": No banheiro e no quarto. No quarto, não terei desculpa para dar uma ajeitada no rosto, pois tenho tudo ali: lenço umedecido (que está dentro do mini gaveteiro), algodão e o tônico para limpar o rosto e um creme contra espinhas. No banheiro, só não tenho os lencinhos porque não precisa mesmo, lavo o rosto no banho e quando a preguiça deixar, lavo com água de noite. Escovar os dentes é fácil, mas lavar o rosto... hehehe

Estou tentando ter apenas o que preciso, quero comprar alguns produtinhos importados, mas preciso ver se pego o costume de usar tudo isso para aí sim valer a pena. Me sinto bem usando, entende? Minha pele já esteve melhor quando usava tudo certinho, agora relaxei demais, tá errado gente!

Ok, relaxei na alimentação, mas de repente cuidar um pouco de mim externamente irá ajudar na alimentação também!

Vocês tem alguma dica para motivar essa coisa toda de cuidados? Uma dica eu catei (essa de deixar em pontos estratégicos os produtos que vc usa). Mais alguma dica?

Em breve com posts que prestam hahahaha...

Bjuuus!

A vida é uma só


Sabe o filme da Alice? Sempre senti certa inveja, inveja mesmo, daquela cerimonia do chá, sério. Aquela mesa cheia de coisas, um bule, xícaras... Claro, a coisa toda uma bagunça, mas quem se importa?

Sempre curti canecas, talvez nem tanto xícaras, talvez porque não fosse algo assim tão ao meu alcance, sei lá... Mas me encantei com uma doceira de dois andares que vi num blog e decidi que, assim que possivel e surgisse oportunidade, compraria uma para mim.

Aí, dia dos namorados chegou, aniversário de casamento/namoro junto (fazemos 10 anos em 12 de junho) e como havia comentado que queria aquela doceira, maridex sugeriu: quer de presente?

Não sou boba em dizer não hehehehe....


Ganhei não apenas a doceira de dois andares como também ganhei o bule para chá e três xícaras com os pratinhos de sobremesa.

Eu gosto de ganhar coisas de cozinha, gosto mesmo, essas coisas diferentes, ou então divertidas, adoro mesmo.

Há quem não goste e repudie esse tipo de presente (tem mãe que mandaria enfiar no fiofó se viesse com uma batedeira de presente de aniversário ou dia das mães). E respeito o direito de não gostar, sabe? Afinal, cada um sabe o que gosta ou não.

Aí servi um café reforçado pro maridex e pra mãe, ficou uma mesa linda demais! Mas pensei, claro, que poderia ter feito isso antes mesmo do conjunto.

Mas acho que entendo a questão: faz tempinho que não ando lá muito inspirada em servir, cozinhar, essas coisas, sabe? Sinto vontade de mexer numa caixa que tenho cheia de utensílios que eu tinha no meu apartamento.

Talvez faça isso hoje. Talvez vocês vejam mais receitinhas por aqui.

Inspiração veio com tudo.

Frase da semana

Frase dita esses dia no Whatts das Lightchês:

"Tenho vontade de dar uma voadeira em algumas pessoas, é uma pena não estar no jardim de infância..."

Coisas que só as gurias lightchês proporcionam! hahahaha

De cara limpa


Não é a primeira, nem será a última vez que vou ouvir falarem algo contra minha vontade de não me maquiar todo dia, ou da minha vontade de andar de camisa de flanela xadrez e all star. "Nossa, moça, achei que você era moça".

Já vi mulher com medo de mim, entrar no banheiro e ouvir um burburinho, um "oh a esquisita". Esquisita é essa gente sem graça.

Tenho meus dias de salto alto, ontem foi um deles, usei faceira, oras. Mas hoje voltei pro all star de guerra, eu fui trabalhar do jeito que gosto, no conforto. Se é permitido, tô dentro, a melhor coisa que fiz foi sair das consultorias, ter que ficar de roupa social todo dia é uó. Nos dois empregos fora, sempre pude ir à vontade.

Nunca fui de frescuras, digamos assim. Enquanto as amiguinhas cresciam e deixavam crescer sua vaidade, eu ia optando mais por uma roupa confortável. E me sentia bem pra caramba.

Tenho dias que quero vir com aquela roupinha hiper feminina, floreada, coisa e tal. Mas é algo que depende do estado de espírito, não é uma obrigação que fico impondo a mim mesma. Minha roupa reflete o meu estado mesmo, se estiver mais para baixo, eu vou sair toda bagunçada, por exemplo.

Imagine se invento de ficar com aquele cabelinho curtinho que eu tinha... hahaha.

Já trabalhei num lugar onde era obrigada a ir com roupa social e sapato com um salto.

Legal que maridex adorava meu cabelo curto e vermelho, enchia a boca orgulhoso para dizer: Oh, o povo tá te olhando, te reparando!!!!

Mas não dou bola pro que dizem, sinceramente. As pessoas falam/tiram onda por puro recalque, gostariam de usar aquilo que quisessem, que é diferente do que usam. Mas falta coragem.

Agora tem esse movimento, onde gente famosa aparece sem photoshop e sem maquiagem nas revistas e tal. Acho muito bom isso tudo. Ainda mais em tempos onde todo mundo admira essas saradas photoshopadas nas revistas e etc.

As mulheres são massacradas, eu acho, pois precisam manter o cabelo lindo, andar maquiada, arrumada, depilada, unhas bem cuidadas e pintadas, cheias de penduricalhos, tem que ser magra, tem que estar linda... Isso tudo combinado com uma jornada de trabalho de no mínimo 8 horas, uma casa para cuidar, se tiver filhos terá que cuidar deles...

Talvez eu seja feminista mesmo... Talvez.

Só acho que as pessoas devem ser o que realmente são, sem tentar mudar isso à força, forçar um "tipo", seja homem ou mulher. Se a mulher usa roupas largas, ela tem um bom motivo para isso, ou motivo nenhum, oras. Precisa de motivo?

Mas as pessoas tem um preconceito tão besta, e o que me deixa besta é que em tempos modernos ainda existam certos receios, medos e discriminações.

Somos mais que um simples par de olhos maquiados, ou um simples par de salto alto.

Li uma frase que resume tudo isso, eu acho: somos todxs deliciosamente imperfeitos e diferentes.