O fogo



Estou escrevendo de um lugar sem internet, mas tem tomada para ligar o notebook e escrever alguma coisa.

As últimas duas semanas tem sido bem tensas, na verdade esse mês de agosto tem sido bem punk, tem colocado tudo à prova.

Na última semana me deprimi por conta dos problemas, como se algo fosse tomando conta de mim e me impedisse de fazer qualquer coisa. Não tinha força para fazer meu café da manhã, o que dirá dançar, cuidar de mim mesma.

Percebi como vou aos extremos de forma tão fácil, uma hora explode de empolgação, no outro momento um suspiro mal dado já me faz colocar tudo a perder.

A dança tem me ajudado muito na questão baixo astral da vida, mas estava de um jeito que não conseguia me levantar para ir lá "tomar o remédio". Complicado.

Na sexta conversei com uma amiga sobre como estava cansada essa semana, como estava desanimada, um assunto puxou o outro, falamos sobre os xamãs e as músicas que eles cantam  e que parecem te dar uma energia sem igual.

Ela me falou que quando sentia que uma coisa ruim estava tomando conta dela, ela imaginava um fogo que queimava tudo ao redor, eliminando qualquer coisa ruim que tivesse por perto.

Imaginar um fogo que queima a mágoa, que queima os nossos fantasmas e tudo mais, não sei explicar, mas parece que te dá uma força, um gás a mais para seguir.

Sabe que quando estou muito para baixo, sem forças, sinto muito frio. Quanto mais triste estou, mais frio eu sinto. Talvez seja porque a chama vai se apagando.

Acho que preciso de rituais, sinto necessidade de acender uma vela, um incenso e ver a brasa queimar e soltar coisa boa, sabe?

A fênix surge das cinzas, e olhe como surge!

Não podemos deixar o fogo lá dentro se apagar, não deixe. Tente imaginar tudo queimar ao redor.

Descontei muita coisa na comida nos últimos tempos, comi feito condenada, porque parecia que nada iria se resolver e era a única coisa que restava.

Tive uma conversa muito boa com meu marido que sacudiu um pouco os dois sobre o rumo das coisas, foi como se um fogo tivesse aquecido. Ressurgi do gelo.

Tentem fazer esse exercício, quando tudo parece querer te puxar para baixo, feche os olhos e manda queimar!

Dança do ventre


É nisso que ando me aventurando nas últimas semanas.

Há um tempo atrás tinha vontade de fazer, mas faltava alguém que desse aquele empurrão ou que fizesse cia. Achei as duas coisas hehehehe...

É uma atividade que reforça a auto-estima, te ajuda a se valorizar mais, desenvolve o amor próprio, pois não precisa ter corpo de modelo para dançar, teu corpo te permite uma infinidade de movimentos.

E fora que você se acha o máximo por conseguir fazer tantos movimentos.

Tem toda sua questão cultural, não apenas a dança, tem a cultura ao redor de tudo isso.

Fora que ajuda a emagrecer, fortalece as pernas (pois toda a movimentação se dá por conta do movimento das pernas).

É uma atividade glamorosa, com as roupas lindas!

Pena que muitas vezes levem para o lado erótico da coisa, a dança na sua origem não é com esse objetivo, é uma dança como qualquer outra, claro, se quer brincar com ela, é só dar mais enfase a esse lado, mas ela em si nem acho tão erótica assim. Tudo tá na cabeça das criaturas.

Acho tudo muito lindo e mágico, isso sim.

Estou pensando em trocar de academia, pois estou achando pouco o que ando conseguindo com a minha hoje em dia.

Voltaremos!

Furacão

Minha vida se resume aos furacões que passam por aqui e me deixam desnorteada.

Já estava sentindo uma pressão grande sobre as coisas que faço no dia a dia, e aí a coisa começou a sair do controle.

Bom, de novo tivemos uma crise em nossa vida, que desequilibrou um pouco as coisas que estavam quase estabilizando.

Muita coisa estou tendo que desistir, mudar, adaptar de novo. Tudo de novo.

Ai, olha, tanta coisa mudou que nem sei por onde começar.

Perdi certas motivações, estou achando outras formas de dar um jeito na situação.

Dói um pouco ter que abrir mão de algumas coisas para tentar me aventurar em outras onde é mais lucro.

A vida está em constante metamorfose.

Muitas coisas tem como pré-requisito que eu consiga me despir de certos pré-conceitos e pensamentos.

Parece que às vezes a vida quer arrancar de mim as coisas. Dá aquele desânimo, aquela moleza e a vontade é passar o dia paradinha, quietinha...

Eu estou numa implicancia desgraçada com algumas coisas, tipo, algumas pessoas que não entendem certos probleminhas e insistes em pisar justamente ali.

Como estou entendendo mais a respeito de tudo que a Cristina Cairo escreve, estou entendendo melhor essa lógica do "semelhante atrai semelhante". E aí entendi um pouco das coisas que acontecem.

Entrei em uma atividade extra que irá me ajudar em auto estima e tudo mais (que nem sei coo vou sustentar), já estou me sentindo bem com ela, porém, com toda essa bagunça na vida tá dificil.

Eu estou tentando fazer as coisas do meu jeito, porque com as regras tem sido muito dificil e me frustro demais.

Tenho ótima novidades, mas outro dia eu conto, com mais detalhes.