Como a gente se cura?



Talvez esteja me antecipando, talvez eu estava... sei lá.

Mas uma coisa que sinto nos últimos dias é: um estado de liberdade quase indescritível.

A terapeuta me perguntou como me sentia com todas as mudanças que fiz na minha vida, em como reorganizei tudo na mente, sobre como hoje estou reagindo e como reagia, e como me sinto sobre tudo isso. (Terapeuta gosta de fazer pergunta difícil, viu...).

Aí quinta-feira estava andando na esteira da academia e pensei nisso: sinto certa liberdade, sinto como se agora sim pude sair da gaiola e agora é questão de tempo para sair voando. Ainda estou dando meus pequenos voos rasantes.

Eu vejo hoje os problemas, as cagadas que de vez em quando eu faço (no sentido figurado, tá), as coisas que antes, se eu fizesse, me sentiria um monstro, um fracasso, alguém que não consegue terminar nada, fazer nada, não seguir nenhum plano (seja lá qual for).

Hoje sou boa comigo mesma, agora estou tentando me alimentar melhor sem o foco do emagrecimento, então, de vez em quando tomo minha cerveja sim (bebo mais nos finais de semana), às vezes durante a semana como meu chocolate, às vezes sinto vontade de comer algo, aquela coisa que parece que te chama sabe? Faço tudo sem culpa.

A compulsão está inserida em várias situações que a gente nem sempre percebe. Se você se sente culpada ou mal depois de faltar um dia da academia e depois tentar "recompensar", isso pode ser uma compulsão, uma tentativa de se castigar por não ter feito tudo certo.

Há vários comportamentos que podem sinalizar que você está tendo comportamento compulsivos relacionados com a obcessão pela perda de peso e pelo corpo.

-> Come demais no almoço e passa o resto do dia sem comer (não pela simples falta natural de fome, mas como punição e compensação)
-> Come demais e depois tenta compensar na academia malhando o dobro (como se uma refeição fosse fazer você engordar 5kg)
-> Fica preocupada quando falta um dia na academia (como se 500kcal que não foram queimadas fossem significar 5kgs a mais)
-> Mesmo cansada e doente, vai malhar ao invés de tentar se recuperar (e pode ficar pior ainda ou demora mais para se recuperar)
-> Cancela compromissos porque tem que sair para correr ou malhar. Deixa de sair com as amigas porque "hoje tem treino".

Muitas dessas situações se originam da culpa que é gerada pelo sentimento de fracasso, como se tivesse trapaceado.

Uma coisa que me policio muito para fazer: quando falto academia, não tento compensar, não tento achar um jeito de fazer "menor dano". Hoje, por exemplo, estou com dor de garganta e dor de cabeça (principalmente na face, ou seja, estou com minha rinite atacada pelas mudanças repentinas do tempo). Me sinto cansado por isso, depois da academia vou tomar banho, pegar "friagem", posso piorar, e não vou morrer por um dia a menos de exercício. E outra, tá nojento meu nariz hahahahaha, tá ruim de administrar.

Então, eu tento achar tudo isso normal, entendo que o que preciso é repouso. Ninguém morre se faltar um dia. Vou continuar cuidando de mim mesma.

"Ainnnnn mas tem que ter foco pra ficar FIT", "Ainnn não arranje desculpas, foco, força, fé".... Enfie o FIT no fiofó (tá aí uma coisa que peguei nojo, essa tal de mania FIT, tudo FIT, vão se cagar).

Nessa vibe mais tranquilona, resolvi voltar para o processo de ajuste alimentar com a nutricionista. Preciso acertar minha alimentação para conseguir ter uma TPM menos xarope (acho que isso resolveria metade dos meus problemas kkk). Agora sinto que não vou mais fugir, pois não estou mais me colocando tanta pressão, tanta cobrança. Minha nutricionista nunca me cobrou ou puxou orelha DE NADA, eu com essa paranoia da dieta e de emagrecimento é que me enfiava nessa cilada.

É a mania de querer agradar, de querer se enquadrar num padrão, numa turminha. Finalmente, estou conseguindo desvincular minha felicidade no meu peso. É mania de achar que só se é feliz quando se está magra. Larga dessa paranoia menina!

Ficou longo o post, mas volto logo!

Beijão.

Em tempo: recomendo o link: https://naosouexposicao.wordpress.com/2016/11/23/qual-e-o-problema-das-blogueiras/





Estamos indo



Uma coisa que parei para pensar e achei muito engraçado: quando me sinto bem, auto estima elevada, diva de mim mesma sempre acho que estou mais magra.

Parece que o quadril diminui uns 15cm, barriga idem, tudo idem.

Mas, continuo do mesmo tamanho, usando as mesmas roupas, nenhuma delas está mais apertada ou larga, tudo igual.

Acho que de tanto a gente ficar nessa busca de felicidade através de um corpo magro, a gente acabe pegando certos "cacoetes", como esse que estou tentando entender, ainda não entendi se está certo ou errado, ou então nem um e nem outro.

Estou tentando desfazer esse vinculo de felicidade X corpo magro, é difícil pois a gente vive anos nessa né? Não vai ser amanhã que tudo vai mudar.

Talvez o corpo ideal magro e coisarada seja meio confundido com a felicidade, como se a gente traduzisse que "apenas com 10kgs a menos serei feliz pois conseguirei fazer isso e aquilo...". É, talvez seja isso.

O ano tá acabando e faltam menos de 3 semanas para titia Sammy tirar férias! Tenho várias pequenas coisas para fazer, pois foi o que consegui hahahahaha. Mas tudo será lindo e delicioso.


Bom, sobre vida saudável e afins...

Hoje me matriculei na musculação nas terças e quintas ao meio dia, como comecei o pilates nessa segunda, tive que ir na sala de musculação para fazer minha ficha. E na sala, os aparelhos estavam às moscas. Pensei, pensei... Acho que aqui é o lugar ideal para fazer musculação! Não compromete meu horário depois do trabalho (fico livre para fazer tudo que der na telha) e ainda consigo ir na musculação num horário onde o esquema tá vazio e de quebra, no horário que terminar os exercícios, os chuveiros do vestiário estarão vazios! Ou seja, mundo perfeito de titia Sammy!

Ok, falta pouco para sair de férias, logo vou acabar parando com a musculação, mas sabe que antes cedo do que nunca, viu? Ahhhh eu tô afim de fazer, por que adiar? Já vou aproveitando desde já!

Aí, de repente nas férias eu me matriculo em outra para fazer naquele horário onde estaria trabalhando :).

Enfim, só sei que acho que tô conseguindo me coordenar. Sinto que tô fazendo tudo isso porque quero me cuidar, não por estar em busca do corpo perfeito. Acho que dessa vez está saudável.

Sobre alimentação...

Ontem me deu um siricutico e uma fome de fruta! Enquanto ia para casa, fiquei pensando em como seria delicioso uma batida de abacate com banana. E como seria delicioso comer um mamão papaia. Cheguei em casa, larguei o carro, botei a sacola embaixo do braço e fui na feira.

Comi tudo com vontade! E trouxe frutinhas para comer durante o dia.

Dizem que quando a gente fica com muuuuita vontade de comer alguma coisa, pode ser que o corpo esteja pedindo por aquelas vitaminas / minerais. Bom, atendi ele hehehehe...

Sobre vida....

Ando beeem de boa, eu tê me apaixonando por mim mesma, tive algumas pequenas crises existenciais semana passada (tpm + confusão + problemas + carência). Mas tá tudo joia agora.

Estou terminando de ler o livro "liberte-se da fome emocional", foi o livro que mais me empolgou nos últimos tempos, anotei muita, mas muita coisa dele.

Tô tentando não deixar isso aqui abandonado.

Volto logo.



65 dias





Se minha conta no excel estava certa, hoje, dia 27/10, faltam 65 dias para o novo ano.

A gente sempre se pega na mesma pegadinha nessa época do ano, perto do Natal e ano novo, de que o ano tá terminando mesmo e daqui a pouco a gente promete tentar fazer aquilo de novo. No caso, só ano que vem.

Eu, no auge de uma tpm do capetinha, estou pensando nesses 65 dias como uma possibilidade, uma não, 65 possibilidades.

Estou tentando aos poucos me organizar e organizar minha cabeça, tenho muita coisa a ser feita e pouca coisa sendo feita de fato.

Esses dias fui no médico que cuida das minhas costas, ele tem uma clinica onde, inclusive, tem nutricionista. Fez todo um discurso que estava preocupado comigo e tal e fez a pior coisa que alguém pode fazer: se meter no meu peso.

Ele marcou um horário com a nutri e não consegui dizer não na hora. Acabei desmarcando depois, porque não é esse meu problema, comer errado não é o problema, e sim O QUE me faz comer.

Eu estou sim mais gordinha e quero reverter a situação, porque, inclusive, para minhas costas, minha disposição e tudo mais, esse peso me atrapalha. Sobre a aparência, eu estou bem de boa mesmo com ela. Não me vejo gorda, não vejo nada de errado comigo. Isso que é o mais doido.

Mas, como sou uma desobediente, revoltadinha de araque e tudo mais, eu preciso pegar esse caminho sozinha. Não se meta que é pior.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Então, estou vendo onde começar a fazer musculação de novo, pois isso me fazia muito bem (claro, tirando a bursite no ombro que ACHO que era porque eu bancava a "mamãe eu sou fortinha" e exagerei) e tentar voltar a correr. Porque é bom, é democrático, corro onde quiser, sozinha, acompanhada, na hora que der na telha, no lugar que quiser. E tem todo lance de superação que faz bem.

Se essa função vai dar certo, veremos. Mas ferramenta para isso já tenho!

Só que, estou esperando a TPM passar para tomar essa decisão, porque na tpm fico muito impulsiva.

Resolvi montar um planner para planejamentos gerais e um planner para monitoramento da minha saúde mental e dieta / rotina saudável / saúde. Explico como funciona no futuro.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Ainda faço terapia, e estou melhorando muito.

Quero me dedicar um pouco mais ao blog, pois dividir algumas experiências me faz bem.

Volto logo, inclusive, visitando vocês.

beijão!



Sexta

A vida anda uma loucura, mas de certa forma tá tudo sob controle.

Estou conseguindo de certa forma ter controle da minha vida.

Ultimamente tenho comido quanto tenho fome mesmo. Algumas vezes isso deu certo, outras me fizeram comer demais hahahaha.

Mas quando comi coisas mais "bobagem", eu estava salivando por aquilo, eu queria MUITO comer. Já disse que estou lendo aquele livro na Geenet? Liberte-se da fome emocional? É isso que ela ensina (uma das coisas) é que se for para comer alguma coisa que todo mundo classifica como ruim ou não saudável, que seja porque você quer REALMENTE comer aquilo, não porque está triste, ou está feliz, desanimado, triste.

Escolher não estar de dieta restritiva requer alguns outros cuidados, você não pode cair na armadilha de comer tudo que acha que tem direito, comer demais deixa a gente pesada, e comer por emoções nem preciso dizer que o problema de se comer demais por conta de emoções não é a falta de dieta né?

* - * - * - *-  * - * - * - *-  * - * - * - *-  * - * - * - *-

Achei um link na internet muito, mas muito bom mesmo: https://www.buzzfeed.com/rachelwmiller/aqui-esta-como-usar-um-diario-em-topicos-para-uma?utm_term=.weAmNwMeJ#.yovmkKeg1

É sobre como monitorar sua saúde mental e como isso tudo pode ajudar a gente a se conhecer e reconhecer o que desencadeia certas emoções.

Nesse processo de auto conhecimento e processo de melhorar o aspecto emocional da minha pessoa, achei a idéia fantástica. Muitas vezes, nem percebemos como estamos, nem percebemos como aquilo que fazemos / comemos / sentimos pode influenciar em tudo.

Às vezes  estamos há dias exagerando em algo, fazer uma análise desses dias pode nos fazer soar o alarme para dizer: algo está errado conosco. Fazer essa análise, tentar melhorar ajuda muito.

Volto logo! Beijão!!

........

O dia, os dias...



Muita coisa aconteceu nesses últimos dias.

Cada vez estou melhor comigo mesma, mais gentil comigo mesma, mais em paz, menos estressada, sabendo gerenciar melhor os perrengues da vida (que não foram poucos, diga-se de passagem).

Aconteceu uma coisa muito chata, um ex-colega meu faleceu por decorrência de um ataque cardíaco, estava jogando vôlei e passou 4 dias em coma. Mexeu muito comigo, pois ele era uma pessoa muito bacana. Mas, o pior aconteceu depois, pois a namorada dele acabou se matando. "Pouca" tragédia né?

Aí você pensa na vida, se está fazendo tudo o que pode e o que quer, se estou aproveitando bem, se estou me cuidando, enfim.

Agora penso em não deixar muita coisa para depois, essas situações te dão aquela sede de vida que parece insaciável.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Bom, ultimamente estive de boas comigo mesma, apesar do peso e tudo mais, mas comecei a notar que minhas calças começaram a ficar mais apertadas e isso começou a incomodar, mas não de uma forma do tipo: nossa, tô ficando baleia, tô precisando virar fitness, virar fit, virar seca, preciso perder 10, 20 quilos.

O objetivo será: preciso eliminar 2,5 kgs para trocar de casa e ficar menos inchada e assim conseguir pensar no que fazer com o resto.

Comecei a ler o livro "liberte-se da fome emocional", da Geneen Roth que também escreveu "mulheres, comida e deus".

Ensina bastante coisa sobre observar nosso próprio comportamento e assim tentar se ajustar.

Estou começando a ler o Pense magro de novo, o livro de tarefas diárias. mas não vou me matar para todo santo dia me atropelar lendo um dia, eu vou no meu ritmo.




Vamos falar sobre Ego

Imagem nada a ver, mas amo esses meninos

Me inspirei nesse post: http://www.entreanas.com/armadilha-do-ego/

Eu sigo 3 caminhos polêmicos: Budismo, bruxaria e vegetarianismo / veganismo (não relaciono muito um com o outro diretamente, indiretamente sim e deixo para outro post essa relação). Mas vamos falar do que mais dá treta (por incrível que pareça).

O que a gente mais vê no veganismo/vegetarianismo e grupos afins são pessoas que se acham superiores por conta do seu veganismo. Porque acham que o seu modo de vida é o mais ético das galáxias e se o outro "negligencia" um aspecto, então, todo seu veganismo é inválido e a pessoa vira um comedor de criancinhas com farofa. Mesmo se a pessoa é vegana, se ela usar carro para trabalhar, é um monstro que está comendo criancinhas com molho.

Bom, somo todos diferentes, o nosso EU interior é diferente do de todos, seja por questão genética, seja pela educação recebida dos pais, seja pelo ambiente que vive ou pelas pessoas do seu convívio.... Tudo isso e mais um pouco nos molda.

E outra: quem disse que tu és superior? E Você? Nunca entrou em contradição aos seus valores, nunca errou?

Aquilo que você faz (ou diz que faz), aquilo que você acredita (ou diz que acredita), é para quem? Para você ou para se mostrar superior a alguém? Quer confete dos outros, quer pisar nos outros ou é para VOCÊ ser feliz?

De que adianta seus valores se não respeita o outro.

E tem mais: você se acha melhor no SEU ponto de vista. Já tentou sair da sua bolha?

E quantas vezes você já caiu nessa armadilha? Eu já cai muitas vezes.

O Mesmo texto que vi no blog que inspirou o post, segue abaixo:

"Se você acha que é mais “espiritual” andar de bicicleta ou usar transporte público para se locomover, tudo bem, mas se você julgar qualquer outra pessoa que dirige um carro, então você está preso em uma armadilha do ego.

 Se você acha que é mais “espiritual” não ver televisão porque mexe com o seu cérebro, tudo bem, mas se julgar aqueles que ainda assistem, então você está preso em uma armadilha do ego.

 Se você acha que é mais “espiritual” evitar saber de fofocas ou noticias da mídia , mas se encontra julgando aqueles que leem essas coisas, então você está preso em uma armadilha do ego.

 Se você acha que é mais “espiritual” fazer Yoga, se tornar vegano, comprar só comidas orgânicas, comprar cristais, praticar reiki, meditar, usar roupas “hippies”, visitar templos e ler livros sobre iluminação espiritual, mas julgar qualquer pessoa que não faça isso, então você está preso em uma armadilha do ego.

 Sempre esteja consciente ao se sentir superior. A noção de que você é superior é a maior indicação de que você está em uma armadilha egóica. O ego adora entrar pela porta de trás. Ele vai pegar uma ideia nobre, como começar yoga e, então, distorcê-la para servir o seu objetivo ao fazer você se sentir superior aos outros; você começará a menosprezar aqueles que não estão seguindo o seu “caminho espiritual certo”.

 Superioridade, julgamento e condenação. Essas são armadilhas do ego."
Mooji

Passou um vendaval na cozinha

A doida da cozinha voltou!!! AAAEEEEEE negadis!

Que comece a festa iiiiiupiiiiiii!

Bom, apresento-lhes a torre de quitutes:



Na base, nos potes de vidro:
-> Catchup
-> Mostarda
-> Geleia de morango

Logo acima: maionese caseira e acima dela tofu.

Bom, não tem muito mistério.

A receita do catchup eu postei esses dias, veio daqui: http://www.toputaevoucozinhar.com.br/2012/10/quem-procura-acha-o-melhor-catchup.html
Não fiz com tomates daquele tipo italiano (que é mais ovalado, não o redondo). Acho que fica melhor com tomates italianos.

A mostarda fiz um mix de todas receitas que encontrei, mas o principio é: deixa as sementes de mostarda de molho no vinagre (fiz com vinagre de maçã, mas fica melhor talvez com um de cereal, de arroz, vinho branco...) por 2 dias. Daí bati com sal, um pouco de açúcar (umas 2 col), um pouco de alho e cebola desidratado e adicionei água para não ficar tão ácido. O negócio é ir batendo e provando. Fica forte, e o sabor melhora com o passar dos dias.

A geléia de morango fiz com morangos (dãaaa) e um pouco de açúcar magro, cortei cada morango em 4 partes e deixei cozinhando. Adoro geleia em pedaços, principalmente de morangos.

A maionese vegana foi uma tacada de mestre: cozinhei cenoura e batata, depois com um pouquinho de leite de soja caseiro bati tudo no liquidificador. Coloquei alho e cebola desidratado e uma pitada de sal negro (para dar aquele cheiro de ovo de maionese de festa de igreja), completei com sal normal e conforme batia colocava azeite de oliva, o que deixou a maionese cheirosa. Como não coloquei tanto liquido, não precisei colocar tanto óleo. Depois de beeeem batida a maionese, piquei salsinha e dei uma pulsada no liqui para dar uma quebradinha nas folhinhas. Ficou delicioso, eu AMO maionese caseira.

E o tofu, querem mesmo saber como faz? Dá trabalho, mas quando tu encontra no mercado tofu por 10 reais 300grs, você se obriga... (gasto mais ou menos 3 reais para fazer o meu, fora o trabalho kkkk). Eu já mostrei no blog como faz, deixa eu encontrar o link e atualizo aqui.

Ando apaixonada pelo sal negro, pois uma coisa que sinto falta é o sabor de ovo, sabe? Não nego não viu? Agora faço as omeletes de grão de bico quase 100% igual a uma omelete normal hehehe....

Próximo passo? Fazer leite de coco caseiro e biomassa de banana no conforto do lar.

-------------------------------------------------------------------
Sammy foi pega dando gargalhada em volta de um caldeirão... foi o que eu ouvi!


Visões



Estava pesquisando sobre planners e acabei entrando em outros assuntos.
Em resumo, acabei refletindo muito sobre: autoimagem, dieta, corpo perfeito e gratidão.

Eu vi muita coisa, e a cabeça não parou de ter ideia.

Bom, os planners ajudam a te organizar e nessa onda você acaba colocando em ordem outros setores da tua vida.

Em um grupo de whatts de amigas, temos o hábito de cada uma, todo dia, dizer pelo que é grata. Dizemos "bom dia" e agradecemos alguma coisa.
Às vezes é um agradecimento bem pessoal, outras vezes é um agradecimento genérico onde todo mundo se identifica (tipo "agradeço pela minha cama quentinha").

De certa forma, isso me ajuda a ver o melhor lado da vida, apesar de qualquer problema, ver a parte boa das coisas e passar pelo dia mais leve,

Dizem que quando somos positivas e agradecemos, abrimos espaço em nós mesmas para receber coisas boas do universo.

Ter uma visão positiva não é "namastê vibe", é parar de valorizar as coisas negativas que acabam nos deixando estressados e de cara fechada com a vida e valorizar aquilo de bom que há por aqui e, assim, amenizar o impacto das coisas ruins em nós mesmos.

Não é ignorar os problemas, é aprender a lidar com eles de forma leve, eu sei que há o problema, observo ele e não me afundo emocionalmente nisso, não me afeto com ele.

O que não está sob meu controle, não tenho o que fazer, logo, não posso gastar a saúde nisso.

Odeio menos as coisas pequenas, um dia de chuva tem valor, o sol torrando tem valor, a ventania tem seu valor. Num dia de chuva, lembro que tenho minha cama quente e um teto e a chuva é o menor dos meus problemas.

Carne de jaca...

Ueeeeeeepaaaaaa, como assim?


Sim, fiz carne de jaca, como uma pessoa que adora sarna para se coçar.

Essa semana estava com vontade de experimentar coisas diferentes, confesso que fiquei surpreendida com a dita cuja.

Bom, comprei uma jaca verde, cortei ela, driblei a cola desgraçada dela (dica: unte TUDO com óleo para a cola sair mais fácil depois). Cozinhei por uma hora os pedaços.

Separei os desfiados da casca e das sementes e obtive o mais puro desfiado de jaca:


Aí ela está já temperada e com molho de tomate. Imagine algo muuuito bom.
Não, ela não tem gosto de carne, nem de frango e não possui todas as proteínas duma carne ou sei lá o que. Apenas é uma comidinha diferente para provar.

Eu ando tri pilhada em fazer coisinhas diferentes.

Nesse blog, tem o passo a passo para fazer essa danada: http://presuntovegetariano.com.br/receitas/vegan/carne-de-jaca/

Quem aí já provou essa bichinha?

Beijão!

Sobre blogs para te tirar da fossa + catchup caseiro



Acho esse nome "catchup" meio sugestivo, e a mente poluída não deixa de pensar merda quando pronuncia hahahahaha...

Visitei, não sei porque nem por onde cheguei no blog tô puta e vou cozinhar, só sei que o jeito que a moça escreve e as receitas que fui lendo num dia de pouca coisa para fazer me fisgaram duma forma....

E uma das receitas que anotei para fazer no feriado foi essa de catchup caseiro

Eu fiz uma zueira na receita, pois fiz metade, daí usei uma pimenta inteira quando na real deveria ter usado meia pimenta (por conta da meia receita), usei cravo em pó no lugar dos 3 cravos e exagerei na quantidade (uma colher de chá) e o louro usei a mesma medida de louro em pó. Mas igual, ficou delicioso, apimentado sim, mas delicioso demais. E logo farei de novo, assim que acabar esse hehehehe...

A receita está AQUI. Mas ó, perde a chance não de ir lá, viu... cada texto mais legal que o outro!




Continuo na luta para dar jeito na vida, deixar a obsessão pelo corpo perfeito de lado, tentar viver a vida sem essa noia que, sinceramente, cansei de viver.

Não quero me apegar a peso, não quero me apegar a esses números bestas, quero cuidar de mim simplesmente porque me amo e não porque acho que deveria se encaixar num padrão que, sinceramente, nem se alcança.

Depois de desencanar disso, de certa forma iniciei a comer melhor, comer minhas bobagens sim, mas tudo numa boa, sem nóia, sem se achar um monstro...

Volto em breve, juro juradinho.

Beijão!

Como consegui motivação para sair de casa e caminhar?

Foi a coisa mais besta que alguns podem imaginar, mas que me pegou de jeito: pokemon GO.

Sim, isso mesmo. Virei jogadora do Pokémon GO.

Em resumo: Você precisa sair por aí para achar os pokémons, o jogo te exibe um mapa de onde você está e você precisa caminhar para pegar os bichinhos. De vez em quando, você ganha uns ovos para chocar, mas para chocar você precisa caminhar um X de quilômetros. Sim, para chocar um ovo de Pokémon tem que caminhar, a quantidade de Km varia entre 2, 5 e 10km.

Aí funciona bem porque é tipo dividir um objetivo em pequenos objetivos. Emagrecer 2kgs de cada vez, por exemplo. Conseguir andar 2km hoje (ou chocar um ovo hoje hahaha).

Daí cada ovo que você "choca" gera aquela expectativa de chocar os outros, ou seja, de caminhar mais. Esses dias estava chovendo e eu tive uma coceira para caminhar. E fui.

Olha o milagre acontecendo, glorifica em pé, gente!

A minha retomada e acerto de compasso em uma vida um pouco mais saudável está se dando aos poucos, tipo, agora acho que achei uma atividade para fazer e me movimentar. E ontem, segunda-feira, resolvi ajeitar minha alimentação, tive algumas idéias do que fazer.

A yoga tá meio parada, o elíptico tá meio paradão lá no quarto. Mas estou fazendo as coisas aos poucos.

Devagar chegamos lá.

E o objetivo do blog?

Escrever... dãaaaa.

Ao longo desses anos, mudei de dieta várias vezes para emagrecer, troquei de plano de exercício, larguei tudo, peguei tudo de novo, testei 4 nutricionistas diferentes... e acho que cansei de viver nessa função, como já tinha dito antes.

Quero aprender a me alimentar o suficiente, nem demais, nem de menos.

Combinei com a terapeuta de voltar com o Pense Magro quando der coragem, pois ele não é dieta, te ensina por meio de terapia cognitiva comportamental a lidar com a comida, claro, fala muito sem seguir dieta e tal, mas acho o programa muito fácil de fazer sem ficar muito preso à dieta. Ela achou perfeito.

a tarefa das duas últimas semanas foi: use a criatividade.

Ué, por quê?

Havia reclamado com ela que sou uma pessoa que perde fácil o interesse nas coisas, não me fixo muito, uma hora me interesso por algo, depois já mudei de interesse... o que consigo me lembrar dos últimos tempos que fiz e reduzi o interesse ou larguei de mão foi:

-> dança do ventre
-> corrida
-> musculação
-> bruxaria
-> fazer cerveja em casa
-> cozinhar coisas diferentes

Falei sobre como era sensível, como as coisas que aconteciam ao meu redor me afetavam de forma tão fácil, que ou explodia de felicidade e empolgação ou chorava até faltar o ar.

Ela disse: essa sensibilidade e enjoo fácil das coisas é característica de alguém criativo, que está sempre atrás de alguma coisa diferente para fazer, que se alimenta de novidades.

Fiquei de boca aberta.

Não sou uma pessoa desinteressada ou que não consigo simplesmente terminar as coisas, apenas necessito manter os estímulos

Sempre tive frustrações por não terminar nada, que era relapsa e qualquer coisa do gênero. E meu marido falou que esse meu jeito tem suas vantagens, pois aprendo de tudo um pouco.

Semana corrida, volto em breve!

Beijão!

A vida tem sempre seus pepinos

Essa semana fiz minha mudança de quarto. Peguei o maior quarto da casa, é uma longa história sobre porque estávamos em um menor, enfim.

Agora tenho espaço para fazer yoga, exercícios... ainda não consegui fazer nada, porque tenho várias sacolas espalhadas de roupas para doar que só vou levar ao destino amanhã e algumas tralhas que ainda não achei lugar para enfiar. Mas nesse findi, eu termino! Juro juradinho.

A única coisa nada perfeita da função toda foi adaptar a gatinha que dorme com a gente no quarto a se adaptar ao novo local. Ela ficou estressada, comia pouco, estava bem ruinzinha. Comprei vitaminas, comprei spray para animar o bicho e agora ela declarou encerrada a greve de fome. Ela, inclusive, ia no quarto antigo, vomitava e voltava pro quarto novo. Bem cabeça dura, puxou a dona kkkk

Enfim, agora sinto a vida renovada, animada (apesar que, assim como a gata, estou me adaptando ao novo quarto também). Posso dançar dentro do quarto, tenho espaço para penteadeira e ainda por cima poderei colocar um banquinho próximo da penteadeira e ficar alí, me penteando, sentada me olhando, que sonho!!!!!

Sobre dietas, para variar, sigo nada, obrigada. Ela que me siga. Muá.

Ando me passando da cota, comendo mais do que eu preciso. Preciso voltar a comer por saciedade e não para me entupir. Mas acho que tem muito a ver com um vídeo que vi da Ana de Césaro (do projeto Ana Gostosa) no Youtube, o qual assisti porque ouvi falar dele no blog cottage regressiva.

E como doeu ouvir tudo aquilo, me identificar...

A gente muitas vezes se sente uma fraude quando fala que fez tal coisa certa na dieta ou que fez tal coisa e mostra orgulhosa para todo mundo que você cumpriu o dever na dieta, mas que quando chega o momento que você está exausta, cansada e nada a fim e come o que dá na telha você acaba se sentindo um fracasso.

Ora, ora... somos humanos, erramos, acertamos, erramos, aprendemos, acertamos... Não vamos nos cobrar tanto assim.

A gente não desistiu de nada não, apenas erramos e... e daí?

Sensação estranha

Tenho passado por muitos probleminhas, de todos os tipos, que acaba por me deixar nervosa, estressada e algumas vezes com uma dor no peito chata pra caramba.

Como tenho estado em constante busca de algo que cure minha falta de atenção e me ajude a lidar com o estresse, vejo em muitos momentos  que fico nessa tensão, mas logo passa, eu penso em outra coisa.

Tem muito problema que me tira o sono, me deixa ansiosa sobre o que pode acontecer, mas de alguma forma, isso passa. Eu insisto em fazer isso passar, no caso a agonia.

Talvez o segredo seja a gente sair da nossa bolha de realidade, observar como uma terceira pessoa lá fora dessa bolha e ao mesmo tempo olhar para dentro de si e ver que tipo de emoção isso provoca, por que ela é provocada e até onde vai a verdade nessas emoções. Emoções não são a razão toda,  e não podemos "servir chá" para as más emoções, entender porque acontece e trabalhar isso para lidar melhor.

Não adianta a gente reprimir, porque aí estamos reprimindo e não estamos aprendendo a lidar com a situação.

Sobre as verdades

O budismo tem algumas verdades para te esfregar na casa, em resumo:

-> A vida é sofrimento, sim. Se livrar dele depende de como você olha as coisas
-> Tudo muda. Sim, tudo é transitório, a cada segundo, as coisas mudam.
-> VOCÊ TAMBÉM MUDA. Sim, você muda, acorda cada dia diferente, células morrem, outras nascem... Mudamos de emprego, mas o nome continua o mesmo, trocamos de marido/esposa/namorado(a) e continuamos com o mesmo nome... Somos os mesmos, mas estamos em movimento, mudando.

Passei algum tempo considerável lutando contra o excesso de peso e isso foi encarado por mim, de certa forma, como um padrão que eu deveria seguir, pois era o destino e acabou.

Sinto a necessidade de "desobedecer" meus padrões.

Sinto que não preciso ficar lutando tanto.

Já comentei que não me sinto tão mal assim comigo mesma. Eu estou gentil comigo mesma, claro, há dias dá vontade de nascer de novo para ver se muda alguma coisa. Mas passa.

Mas o fato é que não precisamos se apegar em quem somos, poxa, mudamos o tempo todo. A gente quer tanto se encontrar, mas quando achamos que nos encontramos, já mudamos de novo e ficamos sofrendo inutilmente. Se mudou a música, troca o passo.

Eu ficava frustrada porque aquilo que eu tinha interesse ontem, hoje não tenho mais. "Nossa, não consigo terminar nada, nossa não consigo ficar constantemente com algo", mas se mudei, para quê forçar isso? Não quero mais e acabou.

Às vezes ficamos achando que somos fracos porque não conseguimos atingir o objetivo, mas se ele mudou ou perdeu importância... para que se martirizar por isso?

Sobre essa questão do peso, emagrecer e toda essa função: eu não me sinto mais doida por isso, não me sinto tão focada, não me acho mais confortável em aulas de aeróbico insanas. Talvez eu devesse fazer aeróbicos sim, mas tô mais animada em fazer elíptico em casa escutando algum áudio de algum mestre budista (ou não) do que ficar nessa loucurada. Talvez a vibração mudou mesmo.

Quero emagrecer pelo fato de ter um peso um pouco mais saudável. Sim, existe gordinha saudável, mas o que me assusta de fato são toooodas as doenças hereditárias que eu posso desenvolver se não me cuidar, tireóide desregulada, reumatismo, artrites, artroses e muita coisa que nem lembro o nome. Minha avó morreu com 50 e vários. Meu pai, com 60. E ambos cheios dessas doenças ai. Não quero tempo de vida, quero qualidade de vida enquanto estiver aqui. Por isso, quero fazer o que meu espirito se agrada.

E hoje, me agrado com a Yoga.

Parece um exercício besta, mas é puxado ao mesmo tempo que é relaxante!

Volto logo!

Beijão!!

A vibe do momento

Não consigo mais fazer atividade física de grande impacto e muito esforço. Ponto.

Sei lá, sabe quando tu chega num ponto que tá de saco cheio disso? De ficar suando feito condenada na academia e etc?

Lá vem o mundo condenar a dona Sammy.

Ahhhhh mas para emagrecer precisa queimar... Mas ando me sentindo meio idiota nessa atividades, sabe? Sinto que é para mim não...

Ando gostando mais de Yoga, pilates, atividades mais concentradas. cara, se você acha que yoga ou pilates não é puxado, experimenta e depois me conta :)

Achei até uma escola de yoga na cidade, vou experimentar, ver se rola. Mas ando fazendo em casa, usando o aplicativo "yoga monkey". É bem bacana. Tem um canal no YouTube chamado "Exercício em casa" com uma playlist de exercícios de yoga, 20 minutinhos :)

Minha terapeuta mandou eu ver atividades mais aeróbicas para intercalar com yoga, mas sabe quando tu te sente pouco seduzida? Pois é... prefiro voltar a dançar.

Não consigo pensar em dieta, restrição. Me sinto tão limitada dessa forma... Tá meio difícil aceitar.

Mas a segunda tarefa da terapeuta me animei mais em executar: encontrar receitas diferentes para fazer no jantar durante a semana. No final de semana, fiz bolinhos de banana com farinha de arroz, ficou beeeem gostoso e estou comendo de lanche. Como é prazeroso comer algo que a gente mesma fez, preparou, sabe? Aquilo que botamos carinho em cima.

Será que essa minha aversão a dietas e loucuras para emagrecer seja sintoma de uma nova fase?

Preciso sim emagrecer, estou acima do peso, mas sabe que não tenho mais pressa, eu estou amando quem eu sou... Eu não consigo me ver como alguém que precise tanto assim mudar, me olho no espelho e me vejo tão bem e acabo me questionando se preciso tanto assim emagrecer. Mas botei na cabeça que preciso emagrecer sim, por saúde mesmo, para cuidar do meu templo.

Talvez eu esteja alcançando a iluminação, nesse sentido.

Ah! Nessa vibe, já emagreci 400grs em uma semana e meia :)

Beijão!

Sobre todas as ajudas que busquei por aí

Temos um grupo aqui no Rio Grande do Sul chamado Lightchê, somos várias meninas que viramos amigas por causa dos blogs de emagrecimento, se não me engano, existimos há uns 6 ou 7 anos.

Ali tenho amigonas MESMO. Somos uma irmandade que teve seus altos e baixos, suas tretas e hoje estamos "domadas" hehehe...

Bom, a gente já esteve na fase das "loka da dieta disso", da dieta daquilo, etc. Mas hoje em dia, a gente teve uma queda de ficha coletiva, ainda nos preocupamos em trocar dicas sobre dietas e tudo flui na melhor harminia possivel (temos quem siga a linha paleo, vegana, indecisa, "bicho e planta"), todo mundo diferente, porém unido.

Mas muito mais que dicas de dieta, a gente troca figurinhas sobre nosso emocional, psicologico, aliás, foi por conta delas que comecei a ler MUITO sobre tudo um pouco, livros de auto ajuda, técnicas e por incentivo delas também comecei a fazer terapia.

Elas me incentivaram, me apoiaram e só tenho agradecimentos por elas terem salvo minha vida, de verdade.

Já li diversos livros de auto ajuda, como esses aí (ainda vou escrever sobre todos eles individualmente):
- emagreça comendo
- mulheres francesas não contam calorias (ou não engrodam, algo assim)
- mulheres, comida e deus
- cristina cairo e afins
- perdas e ganhos, Lya luft.

Desses livros aí acima, muita coisa boa eu tirei e levei comigo, mas eu ainda precisava de algo que me desse o norte.

Claro, não foi logo depois, mas tive um ano bem dificil, problemas na família do meu marido que, querendo ou não, acabei me envolvendo e sofrendo junto.

A Sibele, uma das meninas desse grupo, mo mostrou alguma coisa sobre a Ligia fabreti (procure por ela, ela tem material muito bom mesmo!). Já me ajudou um pouco, digamos que foi um passo para começar a pensar em procurar ajuda.

O que era apenas uma coisinha que incomodava, acabou se tornando sério, comecei a chorar só de lembrar que precisava preparar algo para comer, chorava só de pensar que tinha que separar minha roupa para ir trabalhar.Aí pensei a respeito, falei com as gurias e decidi fazer terapia, eu provavelmente estava com depressão.

Bom, o que chamou a atençao na minha terapeuta era que ela tratava o pessoal com hipnose e mantinha grupos que estudavam o livro "pense magro". Achei que essa ia me entender. Fui diagnosticada com transtorno misto de ansiedade e depressão.

Ela se utiliza da terapia cognitivo comportamental, ela te transforma em teu próprio terapeuta e te cura mais rápido do que terapias comuns. Ela também me mandou pesquisar sobre mindfulness e sobre a vida de buda.

Mindfulness é valorizar o momento presente, estar presente aqui e agora, nas mais diversas situações, seja meditando, escovando os dentes, caminhando ou cozinhando. Pode ser praticado a qualquer hora e lugar. Aí, tudo começou a mudar. A contemplação, ver as coisas com olhar menos serero e mais generoso foi fundamental para mim. Olhar para mim mesma com um olhar menos severo já fez uma grande diferença.

Eu ainda tenho momentos de crise, pois a vida está sempre provando a gente, mas como se diz no budismo, só temos essas certezas:
-> que vamos morrer
-> que vamos envelhecer
-> e que tudo é transitório

Ou seja, o sofrimento de hoje um dia vai passar, vai nos ensinar, e não adianta catastrofizar.

Aí, procurei outras literaturas, que recomendo fortemente (todas são sobre mindfulness)
-diário mindfulness
-livro de colorir mindfulness
-a arte de comer, sentar e amar

Todos eles são livros muito, mas muito fáceis de ler, capitulos pequenos, mas todos falam de um jeito tão carinhoso com a gente que acabamos nos rendendo hehehehe... é incrivel, sério!

Hoje em dia temos tantas ferramentas para conseguir ajuda, só não se ajuda quem não quer mesmo viu? Mexer nas feridas não é fácil, nada fácil. Se expor (mesmo que seja para si mesmo) nos traz aquele medo de sermos julgados (mesmo que seja por nós mesmos), medo de estarmos errados e fazendo merda, mas a vida é aprendizado.

Talvez eu esteja batendo na mesma tecla e sendo repetitiva, mas agora sinto interesse em voltar ao blog, escrever... Mas não sobre dieta em si, mas sobre todas as coisa que descubro nesse processo de busca por mim mesma.

Escrevi tanta coisa hoje, talvez pareça desconexa, mas tá bem bom vir aqui e falar umas coisinhas hehehe....

Ainda vou escrever bastante sobre os livros e tudo mais por aqui.

Volto em breve!

beijos!

Mindfulness

Agradeço aos deuses por descobrir esse estilo de vida ainda antes dos 30 anos. Mindfulness não é mindfull, que seria mente cheia, mas significa "atenção plena".

Estar aqui e agora, prestar atenção ao que está fazendo, sentindo. Existem infinitas técnicas de mindfulness, por exemplo:

-> Ao comer, preste atenção ao que come, perceba a sensação na boca, o sabor, a aparência, esteja presente na sua refeição.

-> Ao caminhar, tente perceber o pé pisando, o relevo do chão, os sons ao seu redor (entrei em estado de hipnose fazendo isso algumas vezes, mas não é ficar tipo sem sentidos ou desmaiadanão, viu?).

-> Quando conversar com alguém, esteja plenamente com ela, preste atenção na pessoa, não mexa no celular, não fique pensando em outras coisas, esteja disponível.

-> Ao escovar os dentes, preste atenção na sensação da escova na gengiva, nas sensações.

É dificil? Talvez. A nossa mente tem a tendência a se dispersar e isso é normal, bem normal. Aí quando isso acontecer, sem julgamentos, sem se achar fraco ou incapacitado, você gentilmente volta a atenção ao momento e para aquilo que você estava fazendo.

Olhar o mundo com olhos curiosos de criança é bem mindfulness também!

Ficamos na busca por felicidade quando podemos tentar encontrar ela dentro de nós mesmos. Nessa vidas, temos apenas o presente, nada mais, nem a menos. Queremos tanto conquistar, mas esquecemos do presente, daquilo que podemos desfrutar agora.

Valorize mais o seu momento, vale muito a pena!!

Beijão!!!!

A facilidade de se desapegar

Eu ando mais interessada em falar sobre o que ando refletindo do que sobre dieta em si.

Fazer dieta é muito fácil, sério. O problema é lidar com os pensamentos e com nossos problemas psicológicos.

Quando estou bem, a dieta flui muito bem, sigo tudo o que a nutri diz. Quando estou mais atacada, nada dá certo.

Ando meio carente de atenção, de alguém para me escutar, estava travada nesse sentido porque nas últimas vezes que tentei falar sobre o que sentia, quem deveria me ouvir foi grosso(a) e fiquei pior do que estava. Aí resolvi fazer terapia, pagar alguém para me escutar e me ajudar a resolver os problemas.

Mas confesso que o medo e a falta de segurança em falar sobre o que deveria ser dito para as pessoas do meu convívio tem me deixado um pouco desanimada.

Mas, essa é a jornada. Mudou a música? Mudamos o passo.

As coisas que me ignoram e as que precisam ser ignoradas estão tendo seu tratamento devido. E estou ficando de boa com isso, consigo ignorar e ficar bem. Entendo que ninguém tem tempo de ficar me ouvindo e ouvindo meus problemas. Não receber aquele apoio que esperamos é ruim, mas todo mundo tem problemas a serem enfrentados e isso entendo.

Muitas vezes percebo que ninguém aguenta uma pessoa que fala sempre dos problemas, ou ela só fala contigo quando tem alegria para falar. Resolvi entender que ninguém tem saco mesmo e é melhor eu mesma me tratar com aquela pessoa que tô pagando para isso e comigo mesma. Né?

Mas, claro, tenho duas amigas que se eu precisar, elas saem correndo para me ajudar e sou grata daqui até as galáxias por isso.

Eu tento vir aqui falar de dieta, mas não vejo isso como algo muito interessante de falar. Prefiro falar dos outros insights.

Era isso, volto em breve.

Beijão para vocês!

Sobre escrever

Escrever me ajuda a colocar as idéias no lugar.

Como estou saindo da valeta que a depressão me botou, estou vendo coisas diferentes para fazer, ou coisas que parei de fazer e que poderia voltar a fazer.

Aí me peguei em ansiedade, daquelas ansiedades que te falta o ar. Parei tudo.

Respira.

Sou meio obcessiva nas coisas que quero fazer, criar, acompanhar. Tenho tendencias viciosas hehehe. Tenho compulsão por essas coisas, quando quero algo, eu me atiro de cabeça e a vida quase paraliza por conta disso. É assim com compulsão por compras, quero ter todos livros, todos os lenços de quadril, todas as velas, todos os incensos. É doença, por isso procurei ajuda.

Agora estou mais sábia nos meus gastos e estou encaixando coisas que deixei de lado no meu orçamento com sabedoria.

Esse ano coloquei na cabeça que vou parar de ficar devendo, sempre devendo. Era aquele lance, parecia que a fatura do cartão ia diminuir dai a Sammy PÁAA! Ia lá e gastava a "sobra".

Parece que consegui ver que tem muita coisa que é legal sim, mas não preciso ter. Isso tudo culpa da ansiedade, depressão. Quando estava de mal com a vida, ia lá e inventava coisa para comprar, comer... e nisso ia me afundando em todos os sentidos. Onde ia o dinheiro? Aí que está, não sei... Só ia comprando as coisas, porque achava que precisava, porque achava bonito, ou por sei lá o que.

Passei por uma época onde me senti carente, muito carente de atenção por conta dos problemas que tivemos na familia, aí amaciava a alma com compras, comida... era o que tinha. Ou achava que era o que tinha.

Hoje consigo pegar algo da prateleira, olhar e pensar: será mesmo que preciso levar isso? Ou numa loja online, olho, olho mais um pouco... até boto no carrinho e penso: será? Desisto. Penso que com o preço disso + aquilo, pago a mensalidade da aula de dança ventre que estou adiando ou compro uma calça que tanto preciso (inclusive, uma delas rasgou de tão velha).

Poucas vezes caí na minha própria armadilha nesse sentido nos últimos tempos.

Por que estou escrevendo tudo isso? Sei lá, estava ficando meio ansiosa e resolvi escrever sobre isso. Hahahahaa.

Porque precisava entender meus pensamentos. E às vezes dividir pode ajudar alguém, né não?

Tento visitar todo mundo, quando tenho algo bom para acrescentar eu escrevo um recado, se não, não levem a mal, estou sempre por aí, mas nem sempre me manisfesto hehehe

Bjão!

Sobre a vida

Não ando sendo aquela criatura paranóica da dieta, e de tudo que isso envolve.

Por conta dos vários caminhos que ando trilhando, tanto no espiritual como no mental, mesmo quando dou umas escorregadas na vida, consigo ficar bem.

Esse findi teve Páscoa, comi chocolate até entupir, mais doces e etc.

O mais legal de tudo: não me senti culpada, não me senti a pior pessoa do mundo. Encarei como um final de semana difícil depois de uma semana que foi tensa.

Aliás, essa semana me dei folga de muita coisa, pois precisava.

Agora tô pronta para retomar a rotina, voltar a pensar em várias coisas.

Beijão, volto em breve!

Refém da balança?

Hoje, finalmente, apertei um pouco mais meu cinto. Agora ele está confortavelmente mais apertadinho.

O peso continua praticamente a mesma coisa, não mudou horrores. Mas as medidas diminuíram.

Não seja o paranoico da balança, ela não diz tudo.

Refém da balança?

Hoje, finalmente, apertei um pouco mais meu cinto. Agora ele está confortavelmente mais apertadinho.

O peso continua praticamente a mesma coisa, não mudou horrores. Mas as medidas diminuíram.

Não seja o paranoico da balança, ela não diz tudo.

Notícias

A vida vai indo, tranquila.

Tinha muita coisa para mostrar para vocês, sobre minha terapia, sobre as coisas que ando aprendendo.

Sobre o livro pense magro (que é diferente daquele tradicional), que tem umas sacadas boas. Preciso contar!

No quesito alimentação estou indo bem, minha nutri me deu umas coisinhas diferentes para comer do que ela costumava me indicar, estou gostando da mudança, me sinto bem.

Estou fazendo academia duas vezes ao dia (em três dias da semana) e uma vez só em dois dias (na verdade deveria ser um só, mas minha rotina de médicos e exames não tem permitido).

Preciso me disciplinar para fazer algum exercício no final de semana, tô muito paradona.

Vi o percentual de gordura baixar um pouco na minha balança muquirana (que é meio doida), aumentou um pouco o % de massa magra. Daqui 20 e poucos dias volto na nutricionista e veremos a real!

O peso estacionou um pouco, mas esses dias quando estava com um peso baixinho, saí para viajar por conta do meu aniversário e ele já aumentou, e tá dificil tirar ele daqui hehehehe. E outra, nesse findi bebi mais do que poderia... Mas já está baixando de novo.

Estou dominando melhor meus pensamentos, está ficando mais fácil lidar com as coisas.

Vamos lá!

Vantagens do emagrecimento

Estou fazendo o livro "pense magro" com minha terapeuta, na verdade o livro que comprei é um pouco diferente, é o "pense magro por toda vida", ele tem as tarefas por etapas, não são tarefas diárias, o que me deixa menos frustrada se não consigo acompanhar um dia.

Bom, como muitas sabem, uma das tarefas é registrar as vantagens de emagrecer.

Mas, uma coisa que aprendi dessa vez é que precisamos ler todo dia e quando ler não pode ser como se estivesse lendo uma lista de compras, e sim refletindo sobre a importância de cada item para você.

Sério, esse é o segredo.

Estou numa rotina puxada de academia, meio-dia tenho aulas de bike, pilates e circuito 4x na semana e no final da tarde  é circuito com minha personal nos dias que não tenho terapia à tarde ou médico.

Voltei na nutri ontem, começamos do zero. Tenho como objetivo perder cms de cintura! Sem meta de peso, nada disso. Preciso perder gordura abdominal.

Simbora que a peleia é grande!

Beijao pra vcs! 😘😘😘😘

Rotina puxada de academia




Só sei que a porra ficou séria!

Bom, além das aulas com a personal, vou fazer algumas aulinhas ao meio dia no Sesc que tem pertinho do meu trabalho, meio dia. Custa barato que vai dar um gás no emagrecimento.

Serão muitos momentos de AF no meu dia, não sei se vou aguentar, mas estou confiante. Ando tão empolgada e determinada que acho que vou me dar bem.

Minhas comidas congeladas estão tinindo de boas, estou fazendo um antepasto de berinjela para ser uma opção pronta de legume para o jantar, e assim, menos um legume que preciso preparar.

Tenho panquecas prontas, feijões e hambúrgueres de soja, tenho tudo prontinho para arrasar.

Fiz um mural no quarto, com minha dieta e minha agenda, que agora ficou corrida hihihi.

Eu estou morrendo de vontade de voltar para minha nutri, que abandonei quando percebi que o problema que eu tinha não era ela que iria me ajudar, pois sobre alimentação, quando o emocional deixava, eu seguia tudo à risca, mas quando o desespero emocional batia eu largava tudo de mão. Agora que estou resolvendo esse probleminha emocional, começo a pensar que agora seja a hora dela entrar na minha vida, de novo.

Mas vou esperar um bocadinho. A dieta que ela me deu por último tem me suprido bem, então, por hora, vou deixar assim.

Feliz porque estou vendo a luz no fim do túnel. Isso não tem preço.

Bjão!!


Oi!!!

Estou numa rotina muito loka de exercícios fisicos e dieta regrada, lendo muito Pense Magro e fazendo tudo bonitinho.

Estou aproveitando essa fase mais motivada para fazer tudo o que posso por mim.

O peso tá baixando bunitinho.

Volto logo!!

Bjus,bjus!!!

Questionamento socrático


Uma ferramenta muito útil no emagrecimento.

Segundo o google, "A abordagem socrática de questionamento baseia-se na prática do diálogo disciplinado e consciente. Sócrates, filósofo e professor da Grécia antiga, acreditava que a prática disciplinada do questionamento consciente permitia ao aluno estudar ideias de maneira lógica para determinar sua validade."

Segundo a Wikipédida, "Questionamento Socrático (ou Maiêutica Socrática) é questionamento disciplinado que pode ser usado para perseguir o pensamento ainda que em muitas direções e muitos propósitos: explorar ideias complexas, para chegar a verdade das coisas, abrir questões e problemas, descobrir suposições, analisar conceitos, diferenciar o que nós sabemos e o que não sabemos, seguir implicações lógicas do pensamento ou controlar a discussão. A chave para diferenciar o questionamento socrático do questionamento em si é que o questionamento socrático é sistemático, disciplinado, profundo e usualmente foca em conceitos fundamentais, princípios, teorias, questões ou problemas. "

Complicado?

Deixa eu dar um exemplo:

Estou feliz e linda, comendo meu lanche, aí ouço risadas ao longe e logo o pensamento sabotador vem:

"estão rindo de mim porque estou fazendo dieta"

"estão reparando no que eu estou comendo"

"todo mundo fica reparando que eu engordei"

Bom, vamos por partes:

Qual é a possibilidade de alguém estar realmente perdendo tempo reparando no que você come?E outra:  Essas pessoas não tem mais o que fazer?

Será que realmente elas perdem tanto tempo assim falando sobre tua aparência?

E se sim, qual o problema? Pensar nisso, te ajuda? Dar valor para isso, ajuda? Não né?

Se você ficar pensando nisso, o que isso vai te causar? Vai te ajudar no processo?

Outro exemplo.

Tive um dia difícil, além de estar roxa de fome, meu marido me oferece cerveja (caso real, aconteceu na terça hehehe):
"Que dia difícil, mereço comer alguma coisa"
"nossa, hoje merecia tomar uma cerveja"
Então...
Você prometeu anotar tua rotina alimentar todos os dias, por 15 dias para ganhar uma recompensa (um livro). Se você sair da dieta e ir lá e anotar, como tu vai te sentir? Ou você não vai anotar isso que você comeu para se recompensar e se enganar? o que você ganha por enganar a si mesmo?

Você se prometeu, mais uma vez, disposta a cumprir dessa vez, que ficaria 7 dias sem tomar cerveja para ganhar uma recompensa (outro livro heheheh). Como você se sentiria se tomasse cerveja hoje? Vai se frustrar, certo? Você sabe que a cerveja atrapalha o emagrecimento porque ela engorda também, tem calorias.

O que você ganha se você quebrar essa promessa consigo mesma?

Será que esse estresse pode ser compensado de outra forma? Com algum mimo, algo que te deixe realmente feliz depois?

Comer ou beber vai resolver os problemas?

Achei alguns slides para que vocês possam entender como funciona esse questionamento, de que tipo de pergunta se trata.




Fonte; link

Fonte; Link








O questionamento funciona mais ou menos por aí, você identifica os pensamentos sabotadores (como nesses casos) e questiona esses pensamentos para saber o que é real, o que te beneficia, o que te prejudica.

Peguei o gancho do que, dentro da minha realidade, minha terapeuta trouxe para mim.

Parar para pensar antes de fazer merda ajuda, respirem! Claro, talvez na primeira vez que você tente vai ser difícil ou achará mais fácil mandar pro inferno e executar a cagada.

Mas garanto que é bom, você aprende bastante coisa.

Tenho conseguido dizer não com muito mais facilidade quando comecei a usar esse questionamento.

Bora tentar? Conta aí como foi :)

Bjão!








Notícias pós carnaval

Bom dia!!!

Notícias da titia!!

Estou conseguindo emagrecer, estou conseguindo controlar meu pensamento sabotador.

A terapia está me ajudando muito, ela tá fazendo comigo o livro Pense Magro, mas o que tenho é uma versão mais recente, não são tarefas diárias, mas tarefas a serem cumpridas, fixadas, eu achei bom, porque conforme agrego as tarefas no meu dia-a-dia, vou passando pra próxima.

Tem umas que preciso apenas achar um cantinho pra deixar as coisas, que é uma caixa de conquistas e uma caixa de distrações. Preciso apenas de tempo pra vir aqui falar a respeito hehe.

Volto logo!

Sigam meu insta de dieta: @dieta_da_bruxa
Bjão!!!!

Sábadão




Eis que a psi enviou alguns textos para leitura e fiz algumas anotações, pois há aspectos da terapia cognitiva comportamental que não entendi bem, o propósito mesmo e como funciona, o que esperar, etc... Porque ela usa essa tal terapia cognitiva comportamental, que é a mesma utilizada naquele livro famoso, o Pense Magro.

Ela me pediu um caderno e uma pasta para fazer exercícios e o tema de casa que ela vai me passar, hehehehe.

Comprei uma agenda legal e canetas coloridas, deixar a coisa divertida.

Senti como preciso de ajuda... fui ler os textos, nada demais, e parecia que ia começar a chorar a qualquer momento, porque no fundo queria ficar parada, vendo tv ou na internet, deitadona na cama, sofá... mesmo quando faço coisas que eu gosto, eu desanimo, uma coisa me puxa abaixo.

me pesei hoje e estava com 79,6, ou seja, não estou na casa dos 80, o que é bom.

Vou ver se dou uma passadinha por aí nos blogs.

bjuuuus!


Como vai indo

Comecei a fazer terapia.

Curti a psicóloga, deve ter apenas 10 anos a mais que eu de idade, talvez isso me deixou à vontade, pois tenho amigas nessa idade.

Ela tem algumas técnicas pra terapia, então fiquei empolgada, diz ela que dá tema de casa, ou seja, será intenso. Trabalha com hipnose terapêutica, terapia cognitiva...

Ela tem grupos de apoio para pessoas que querem emagrecer, tem um grupo dela que segue aquele livro "pense magro".

Eu vejo futuro nessa função.

O problema é que em casa ficam perguntando como vai a alimentação, dá vontade de mandar longe.

"Ah que tu tem que controlar o que tu come."

Quando falam isso, eu fico sentindo como se estivessem apertando meu dedo com um alicate e dizendo: sorria, continue sorrindo. Você tem que sorrir.

É difícil. Ninguém tá com moral pra me exigir qualquer coisa, mesmo que seja pro meu bem.

Ainda não fecharam meu diagnóstico, mas enfim.

Resolvi estar nem aí pros problemas, porque hoje quem está precisando de socorro sou eu.

Dividir isso aqui é bom, porque vocês entendem, e desabafar é bom.

Abro mão do que eu quero para deixar todo mundo menos nervoso, mas agora chega.

Bjuuuus pra vcs,  volto logo!!

Ela engole a comida porque tem medo de ser engolido pela dor


OU...
"A compulsão alimentar é o medo de ser engolido pela dor".
Ou...
"Vai comendo até tapar o buraco da dor".

Escutei essas frases numa transmissão da Ligia Fabreti, sobre o medo do futuro, controle do futuro. Aí essa frase foi forte, porém perfeita.

Nos últimos tempos, tipo uns 4 anos, mais forte nos últimos 2 anos (e de maneira insuportável há quase um ano), meu problema tem sido a compulsão pela emoção, pelas dores da vida, estresse, medo do caminho que as coisas podem tomar, sentimento de abandono (real ou não).

Quando fiz minhas primeiras dietas, eu me dedicava, porque não tinha problemas emocionais envolvidos. Simplesmente gostava de comer e pronto.

Quando perdi meu pai, tive que assumir uma família, tive que ser responsável pela minha mãe e por todos os problemas que ele deixou pendente, brigar com gente grande para garantir os direitos que ele não teve quando vivo (então que minha mãe pudesse usufruir de tudo). Minha vida girou, nos mudamos para a casa da minha mãe (o que me fez muito bem e não imagino fazer diferente hoje).

Muita coisa mudou e girou, eu e meu marido sofremos um problema bem punk, traumático em 2014 que gerou um estresse grande por meses, e quando a gente estava melhorando, surgiu um problema familiar grave, que mudou a rotina, mudou tudo.

Estava começando a fazer dieta com uma nutri que estava indo bem, mas acabei desistindo porque não tinha força para me preocupar com isso, pois o mundo ia me esmagando, os problemas foram me esmagando.

Tive que lidar com a grosseria de pessoas que nunca imaginei ter que lidar (bem próximas), mais o estresse de ter a vida invadida por um problema tão punk e mais a negatividade das pessoas que estavam semi-envolvidas, e a indiferença de quem deveria se envolver na porra toda.

Tem coisa que antes não me atingia e eu não dava bola, mas que hoje toma uma proporção gigante.

Calma que estou buscando a solução. Silenciosamente vou gritando por socorro, mas de tão silencioso ninguém escuta. Mas acho que conseguirei eu mesma me socorrer, para variar né? Lá vou eu me virar, pois é tudo frescura sempre né? Toma um chá que melhora.

Mas enquanto isso, tento controlar o impulso de comer por emoção, fazer compras por emoção... Pois tudo me prejudica das mais variadas formas. Tudo porque é isso mesmo, tenho medo de ser engolida pela dor, essa é a grande verdade.

O desabafo foi forte, porém necessário.

Volto logo. Beijos!

Perguntas

Copiei do blog cottage regressiva o questionário, ia responder pelo note,  mas a internet deu pau, tive que ir pelo 3g do celular...

Qual o maior peso que já teve? Quase 90kgs

Atribui esse aumento a que motivo? Nessa época comecei a trabalhar e tinha dinheiro pra comprar a comida que quisesse, fora estresse da facul e tal. Mas a última engorda eu digo que foi por conta de fatores emocionais, estresse na vida pessoal, trabalho tá de boa.

Isso lhe trouxe alguma doença associada? Não

Qual o maior desconforto que isso lhe causou? Baixa auto estima, culpa, um pouco de vontade de ficar isolada

Acredita que possa mudar?claro!

O que está fazendo atualmente para reverter isso? Academia, tentando dar jeito na alimentação e acho que vou começar a usar ferramentas extras

Quanto deseja pesar? Chegando nos 70kgs jóia

Estou aqui, na batalha, tentando ver se dou jeito na vida, falta de motivação tá pegando na vida como um todo, mas não me entrego, viu?

Segunda de novo

Tô tri de boa amiguinhos.

Nesse findi até que comi legal, tomei cerveja, nem me pesei hoje pra saber o que deu. Não precisa.

Fiz coisinhas diferentes, como comer calzone e panquecas, diferente do xis que era opção padrão nos últimos dias.

Comecei a correr, quase morri, mas fui kkk.

Ando lendo sobre assuntos bacanas, me encontrando. Tá bem bom viu.

Tomei decisões importantes pra fazer 2016 ficar positivo em todos os aspectos.

E vocês? Tudo joia?

Beijos!!