Ela engole a comida porque tem medo de ser engolido pela dor


OU...
"A compulsão alimentar é o medo de ser engolido pela dor".
Ou...
"Vai comendo até tapar o buraco da dor".

Escutei essas frases numa transmissão da Ligia Fabreti, sobre o medo do futuro, controle do futuro. Aí essa frase foi forte, porém perfeita.

Nos últimos tempos, tipo uns 4 anos, mais forte nos últimos 2 anos (e de maneira insuportável há quase um ano), meu problema tem sido a compulsão pela emoção, pelas dores da vida, estresse, medo do caminho que as coisas podem tomar, sentimento de abandono (real ou não).

Quando fiz minhas primeiras dietas, eu me dedicava, porque não tinha problemas emocionais envolvidos. Simplesmente gostava de comer e pronto.

Quando perdi meu pai, tive que assumir uma família, tive que ser responsável pela minha mãe e por todos os problemas que ele deixou pendente, brigar com gente grande para garantir os direitos que ele não teve quando vivo (então que minha mãe pudesse usufruir de tudo). Minha vida girou, nos mudamos para a casa da minha mãe (o que me fez muito bem e não imagino fazer diferente hoje).

Muita coisa mudou e girou, eu e meu marido sofremos um problema bem punk, traumático em 2014 que gerou um estresse grande por meses, e quando a gente estava melhorando, surgiu um problema familiar grave, que mudou a rotina, mudou tudo.

Estava começando a fazer dieta com uma nutri que estava indo bem, mas acabei desistindo porque não tinha força para me preocupar com isso, pois o mundo ia me esmagando, os problemas foram me esmagando.

Tive que lidar com a grosseria de pessoas que nunca imaginei ter que lidar (bem próximas), mais o estresse de ter a vida invadida por um problema tão punk e mais a negatividade das pessoas que estavam semi-envolvidas, e a indiferença de quem deveria se envolver na porra toda.

Tem coisa que antes não me atingia e eu não dava bola, mas que hoje toma uma proporção gigante.

Calma que estou buscando a solução. Silenciosamente vou gritando por socorro, mas de tão silencioso ninguém escuta. Mas acho que conseguirei eu mesma me socorrer, para variar né? Lá vou eu me virar, pois é tudo frescura sempre né? Toma um chá que melhora.

Mas enquanto isso, tento controlar o impulso de comer por emoção, fazer compras por emoção... Pois tudo me prejudica das mais variadas formas. Tudo porque é isso mesmo, tenho medo de ser engolida pela dor, essa é a grande verdade.

O desabafo foi forte, porém necessário.

Volto logo. Beijos!

3 comentários:

  1. lindeza... vc está certissima em por tudo pra fora.. é uma forma de auto ajuda... e no mais.. sei bem o que é "ter que se socorrer" afinal sou arrimo de família.. mta gente dependendo de mim que as vezes me enfio em compulsões pra aliviar o peso do fardo (e aumentar o meu kkk)... bjokas lindeza e sucesso sempre

    ResponderExcluir
  2. Os problemas fazem parte da vida adulta... Engordei 30 kg apos a morte do meu pai, enfrentando situações parecidas com estas que vc descreveu. Depois disso nunca mais consegui voltar ao peso, a compulsão se fez presente de forma (quase) definitiva. Há 3 anos decidi fazer cirurgia bariátrica, emagreci, atingi minha meta e estou bem feliz. Os problemas continuam, enfrentei problemas familiares gravíssimos logo após a cirurgia e a unica forma de lidar com eles sem voltar a compulsão foi fazer psicoterapia. Psicoterapia é fundamental, não é luxo, é absoluta necessidade. Compulsão é doença grave, vencer a compulsão não é possivel sozinho.

    ResponderExcluir
  3. Justamente isso que procurei, uma psicóloga para tratar isso com terapia. E acho que vai ser be bom!

    ResponderExcluir

Fiquem à vontade!