O dia, os dias...



Muita coisa aconteceu nesses últimos dias.

Cada vez estou melhor comigo mesma, mais gentil comigo mesma, mais em paz, menos estressada, sabendo gerenciar melhor os perrengues da vida (que não foram poucos, diga-se de passagem).

Aconteceu uma coisa muito chata, um ex-colega meu faleceu por decorrência de um ataque cardíaco, estava jogando vôlei e passou 4 dias em coma. Mexeu muito comigo, pois ele era uma pessoa muito bacana. Mas, o pior aconteceu depois, pois a namorada dele acabou se matando. "Pouca" tragédia né?

Aí você pensa na vida, se está fazendo tudo o que pode e o que quer, se estou aproveitando bem, se estou me cuidando, enfim.

Agora penso em não deixar muita coisa para depois, essas situações te dão aquela sede de vida que parece insaciável.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Bom, ultimamente estive de boas comigo mesma, apesar do peso e tudo mais, mas comecei a notar que minhas calças começaram a ficar mais apertadas e isso começou a incomodar, mas não de uma forma do tipo: nossa, tô ficando baleia, tô precisando virar fitness, virar fit, virar seca, preciso perder 10, 20 quilos.

O objetivo será: preciso eliminar 2,5 kgs para trocar de casa e ficar menos inchada e assim conseguir pensar no que fazer com o resto.

Comecei a ler o livro "liberte-se da fome emocional", da Geneen Roth que também escreveu "mulheres, comida e deus".

Ensina bastante coisa sobre observar nosso próprio comportamento e assim tentar se ajustar.

Estou começando a ler o Pense magro de novo, o livro de tarefas diárias. mas não vou me matar para todo santo dia me atropelar lendo um dia, eu vou no meu ritmo.




0 Comentários:

Postar um comentário

Fiquem à vontade!