Os traumas da vida



Talvez a melhor coisa que fiz nessa nova jornada em busca de um peso menor e uma constituição corporal mais saudável (ou seja, diminuir gordura mesmo) foi tirar a bateria da balança e retirar ela do banheiro.

Estava vendo um vídeo da Ju Romano e ela falou que não se pesava há uns 10 anos, se não me engano, pois isso para ela era um "gatilho" por conta de transtornos alimentares e afins que ela já teve.

Acabei refletindo sobre isso, pois ela é gorda e não se pesava, cuidava de si mesma em questão de saúde e vive bem assim, obrigada.

E percebi que, ver que naquela semana o peso estava estável ou aumentava ou não diminuía conforme minha expectativa besta, eu sofria e me largava, de alguma forma me punia.

Resolvi eliminar a balança da minha vida.

É difícil se desintoxicar dessas coisas, eu tenho falado quase nada sobre dieta, pois falar sobre isso é um gatilho para mim também.

"Receio" de dieta é relaxamento? Falta de força de vontade? NÃO. Dieta gera trauma, frustração para quem tem seus problemas com a imagem.

Cada vez que alguém fala sobre uma nova nutricionista, dificuldades em seguir dieta, em "vamos se puxar", "eu tenho que resolver minha vida" (como se o peso fosse resolver tudo e era o que eu pensava uns 6 anos atrás), "ai que tentação, agora que comi essa batatinha vou passar a semana só na alface" eu caio no gatilho.

É muito sério isso.

E se você tem isso, não se sinta uma relaxada, porca ou monstro.

Se dieta funcionasse, a gente fazia uma vez só.

Tem ainda aquele problema que, as pessoas querendo nosso bem, insinuam que talvez seja interessante a gente se cuidar, principalmente se tu é mulher. Ninguém repara se o homem engordou, ninguém se importa (em sua maioria). E nessa "preocupação", a gente se machuca.

Parece, como muitos dizem hoje em dia, mimimi e "não me toque" e que hoje em dia as pessoas estão pisando em ovos demais e tá todo mundo fresco demais.

Mas eu parei de chamar de comidas conhecidas como "não saudáveis" de porcaria. Porcaria = de porco, remete aos conceitos: porco come lavagem, é colocado na sujeira, fede.

Resolvi começar a chamar de "comida recreativa", que não é aquilo que a gente come todo dia porque né coitada das veias e do coração, mas que quando estamos afim de comer algo diferente e gostoso é interessante. A gente não pode se punir porque comeu, isso é horrível.

E outra: deixem o brigadeiro ser brigadeiro, a pizza ser a pizza, a massa ser a massa... As receitas "funcionais" (ODEIO esse termo) servem para a gente provar novos sabores e é legal, claro. Mas se tu tá afim de comer brigadeiro açucarado, cooooome e seja feliz.


0 Comentários:

Postar um comentário

Fiquem à vontade!