Terrorismo alimentar

Cada dia mais o terrorismo alimentar ataca.

A coisa que mais amo da minha nutri é que com ela não tem nada proibido, não tem terrorismo com nada, não temos prazo apertado para chegar na meta X (aliás, não temos prazo pra porra nenhuma, a gente deixa a coisa seguir seu ritmo).

Vi uma amiga minha meio preocupada que a nutri definiu um prazo para eliminarem 20 ou 30 quilos (não lembro). Até não era uma meta fora da realidade, 2kg por mês se não me engano, mas eu via ela se matando em duas academias, comendo quase nada, e sofrendo cada vez que dizia que só podia comer um numero restrito de coisas coisas.
 
a nutri doida é adepta disso...

Como eu tenho sérios traumas com dieta e vários processos de perda de peso nas costas, todo mundo teve que ir com calma comigo. A terapia foi devagar, aos poucos, avançando nesse campo. Primeiro trabalhamos a auto-estima e a perda do medo de se cuidar e se amar. Depois, aos poucos fomos invadindo esse campo, recuamos algumas vezes... é sério, o bagulho é tenso. Já tive algumas vezes que me faltou o ar enquanto (tentava) falar sobre o assunto.

Aí, fui na nutri com objetivos bem dispersos, apenas melhorar a alimentação e controlar os sintomas da TPM (antes a tpm durava 15 dias e a última durou apenas 4-5 dias, eram 15 dias de seios doloridos, conseguem imaginar?). Eu queria perder o medo infundado na nutri também, ela sempre foi de boa com as metas e dieta, nunca mandou cuspir nada hahahaha... Mas por conta de todo trauma de tantos anos, eu precisava ir devagar ali também, recuei uma vez e agora consegui avançar em campo: em fevereiro vou pedir uma dieta para emagrecer.
 
Somos adeptos!
 

Ela me mostrou uma planilha onde ela insere medidas de dobras cutâneas e cm's de várias partes do corpo, me mostrou meu índice de gordura (que não lembro) e me mostrou o que seria o saudável e não era muita coisa não, mesmo para quem não tem pressa.

Eu estou afim de me cuidar e fazer boas coisas para mim, me cuidar, me amar... 

Eu bato demais na tecla, mas baterei de novo: Primeiro a gente precisa se amar do jeito que é para então conseguir mudar o que queremos de forma gentil conosco mesma, sem se odiar por ter "fracassado".

Somos mais que medidas, números.

Não tenho mais a pretensão de chegar a 60kgs, estando num índice de gordura aceitável e conseguindo cuidar do meu corpo como ele merece, ficarei feliz demais!
 
 EXTRA EXTRA EXTRA
Recomendo fortemente o site http://juromano.com/ caso alguém ache que não tem como se vestir bem sendo gordinha :)

O que é felicidade? E como o peso interfere nisso.



Estava aqui com o corpo todo dolorido do pilates e uma discussão em um grupo do zapzap me fez refletir um pouco sobre o tema.

O que é felicidade?

Muitas vezes quando estava nos meus primeiros processos de emagrecimento, eu achava que tudo mudaria quando emagrecesse. Que os problemas iriam se resolver, pois aquilo era o que mais me incomodava, logo, eliminando esse problema, eu estaria completamente feliz.

Bom, alguns ciclos de tentativa de emagrecimento depois, aprendi que a felicidade não se resumia ao peso e corpo. Isso era um começo.

Mas e agora, o que fazer com o resto?

Acredito que faz uns 2 ou 3 anos que tive esse insight e somente agora consegui reverter isso.

Sammy, mas e daí tu achou a chave da felicidade? Não.

Aprendi a me amar do jeito que sou, gordinha ou magrinha. Entendi que o processo de emagrecimento não deveria ser algo que me torturasse, que ao primeiro vacilo eu me punisse ou me achasse a pior pessoa do mundo.

Entendi, que para mim, funcionaria esse processo se eu me amasse e colocasse outras "felicidades" na roda. Entender que nem tudo é perfeito foi importante.

Talvez a gente seja feliz em muito aspectos, mas em relação ao corpo não somos tão felizes assim e queremos mudar. Jóia, pois a tua felicidade não está atrelada simplesmente ao formato do corpo quando temos tanta coisa boa na vida. Você entende que viver o agora é o que há, não espera um peso na balança para ser feliz.

*Ah mas não existe gente que é feliz porque é gorda.

Talvez. Não conheço alguém que fosse feliz justamente por ser gorda, única e exclusivamente. Porque isso é muito intimo também, daí complica. Talvez no seu conceito de felicidade não está incluso "ser feliz com esse corpo que tenho hoje e não ficar fazendo dieta", esse é seu conceito e respeitamos, pois é o SEU conceito. Com tanto preconceito aos acima do peso (principalmente mulheres), dizer que quer ser gordo mesmo e tá bom assim  ainda é um tabu.
As crenças e valores pessoais influenciam nesse conceito de felicidade.

*Mas gordo não é saudável.

Conheço gordos que a saúde é muito melhor que muito magro. Tenho um conhecido bem magrinho que tem diabetes e vive com problemas respiratórios. Conheço um gordinho que anda pelo menos uns 5km (ou mais) todo dia para fazer suas coisas e tá bem. Tem gordinho que sofre de colesterol, tenho uma amiga magra que tem problema de rim, estômago, fígado... Tenho amigas magras que tão bem, e gordinhos que estão bem também.

Diagnosticar saúde apenas pelo IMC é uma roubada. Pois fica aquele conceito que magro não precisa se cuidar tanto, porque quem é doente é o gordo. Gordinho e magrinho precisam fazer check up sim, precisam se exercitar sim, ambos precisam se cuidar.

*Então tu quer que todo mundo engorde porque é mais legal?

Pelo amor dos Deuses, não! Não é porque defendemos que a pessoa pode ser sim feliz gorda se ela quer assim que isso signifique que seja tudo uma ditadura pró-obesidade. Não né, pelo amor dos deuses e deusas...

*Sou feliz mesmo sendo gordinha, isso não é um fator determinante para minha felicidade

Se isso não é determinante para tua felicidade, não há nada de errado com isso. Se tá te cuidando, como todo mundo deveria (independente do peso), tá jóia.

*Tá, e o que tá certo? ser feliz gorda ou ir atrás de um corpo saudável, comer até fica gorda, não tô entendendo, Tia Sammy!!!

Você pode ficar do jeito que está
Você pode emagrecer porque o médico recomendou isso em função de algum problema de saúde.
Você pode querer emagrecer porque você acha que fica melhor mais magra, mas não deixa de viver por isso.
Você pode ser magra e se cuidar sem problema nenhum.
Você pode ser gordinha e cuidar da alimentação e fazer exercícios.
Você pode fazer aquilo que é melhor para VOCÊ, não norteie isso tudo com base no que os outros vão achar, os outros não pagam tua conta, tá?
Você, magra ou gorda, pode comer besteira quando sentir vontade de comer sim!

Os padrões estéticos femininos mudam ao longo dos tempos... é só um padrão besta. Não te guia nele não, viu? faz o que te deixa bem. E nunca, jamais, julgue o que pode deixar alguém feliz ou não usando suas crenças e valores pessoais, que são só SEUS.

A discussão vai mais longe, com certeza. Mas não acaba por aqui :)

Beijinhos!

Eu desisti de emagrecer?




De fato, não.

Mas participei de um processo que tinha como objetivo ajeitar minha mente e minha auto estima para que, assim, eu pudesse emagrecer sem frustrações ou problemas com as cobranças que sempre gerava.

Processos de emagrecimento me geraram certo trauma.

Meu maior problema com as dietas é a cobrança e a frustração que gero (ou gerava) porque alguma coisinha deu errado. fazer de conta que arrumava minha mente e emagrecer ao mesmo tempo não dava certo. Nunca deu.

Nesse processo emagreci, engordei, engordei um pouco mais e hoje ao voltar das férias tive uma leve engordada.

Antes de sair de férias, fui numa nutricionista para ajeitar a alimentação e recomeçar. Mas, de fato, estou recomeçando hoje.

Eu precisava me achar linda do jeito que era para que assim eu me cuidasse e emagrecesse por amor a minha mesma. Simples assim (nem tanto, confesso). Não participaria do processo apenas porque estava certo ou errado alguma coisa, mas sim por amor por mim mesma.

Comecei a me cuidar mais, cuidar do meu cabelo que estou deixando crescer, das espinhas do meu rosto que considero hoje curada (tenho pouquíssimas, só se olhar muito de perto elas aparecem, antes meu rosto era vermelho de tantas espinhas). Comecei, depois, a pensar na alimentação para que conseguisse ter uma TPM mais serena. E agora, estou pronta para começar a emagrecer.

Tive uma recaída no final das férias, comecei a do nada ter vergonha de mim mesma, queria me esconder, entrei em pânico, me vi muito maior do que estava vendo, me senti péssima.

Mas dai conversei com meu marido, trocamos umas ideias e acho que agora estou bem, tanto que comecei a trabalhar hoje e não estou com medo dos olhares ou qualquer fofoca sobre os quilinhos que já estavam aqui ou foram adquiridos nas férias.

Parece, aos que olham de fora, que não estou me esforçando tanto para conseguir emagrecer ou que larguei de mão e agora como tudo e mais um pouco. Mas aí que mora o erro dos que te julgam: Estava numa luta árdua para me amar e assim conseguir me cuidar.

Ninguém sabe da nossa história.

Tudo tem seu tempo. Certas mudanças precisam de tempo, de preparo. Às vezes precisamos, primeiro, dar uma limpada nas armas, lubrificar elas e ver se estão OK para então partir para a guerra.

Acho que agora estou pronta.

Beijos e beijos!